Lady Killers - Assassinas em Série (Tori Telfer)


Em 1998, Hoy Hazelwood, notório "caçador de mentes" da Unidade de Ciência Comportamental do FBI disse que "não existem assassinas em série". É sem prazer nenhum que eu discordo dessa afirmação. Em um mundo utópico, não existiriam assassinos em série. O filósofo Durkheim foi o primeiro a supor que, se há alguma coisa errada com a sociedade, a criminalidade é um sintoma disso. Serial killers são uma das respostas para coisas erradas que existem na nossa realidade. E eles não se restringem ao sexo masculino!

Quando a DarkSide Books anunciou o lançamento de Lady Killers - Assassinas em Série eu fiquei imensamente feliz por existir um livro sobre esse tema, e ainda que foi escrito por uma mulher. E mais feliz quando ele chegou aqui em casa! Tori Telfer nos apresenta um livro com um trabalho de pesquisa minucioso sobre a vida de 14 assassinas em série.

"não existem assassinas em série"


Muita gente acredita que a "febre" dos serial killers começou com Jack, o Estripador. Mas estão enganados. Ele não foi o primeiro assassino em série da história. Embora não se possa negar que foi o primeiro a ganhar grande notoriedade, muitos outros vieram antes dele, entre os quais estão várias mulheres cruéis que nos fazem duvidar de até onde vai o limite da maldade humana.

A imagem da mulher como uma vilã é há muito construída em histórias de fantasias. Bruxas, rainhas malvadas, madrastas... mas, aparentemente, a ideia de que realmente existem mulheres más na vida real é inaceitável para algumas pessoas. Ou era, até o século passado. Hoje em dia não é tão comum ouvirmos falar de casos sobre serial killers, sejam homens ou mulheres. Mas Lady Killers desmistifica esse personagem fictício da mulher má. Elas existiram há dez, vinte, cem, trezentos anos atrás. E existem ainda hoje!

Ao longo dessa leitura somos apresentados não apenas a "carreira" criminosa dessas 14 mulheres, mas também a suas vidas como um todo: criação e infância, contexto histórico e social e até mesmo ao sistema judicial. É incrível ver como esses fatores mudam de tempos e tempo, e como eles influenciam desde o modo como essas mulheres eram vistas, até a suas sentenças. Eu valorizo muito isso, tanto que foi algo de que senti um pouco de falta na série Conversando com um Serial Killer: Ted Bundy. As construções sociais sobre o feminino mudam de tempos em tempos. Estão mudando hoje, bem diante dos nossos olhos, mas ver essa mudança gradual na forma de um livro escrito com tanta maestria foi incrível!


Não é um livro cansativo; na verdade, é uma leitura muito corrida, pois realmente ficamos curiosos para saber qual foi o desfecho da vida de cada uma das assassinas. Eu senti muitas coisas enquanto lia: fui desde a raiva à empatia. Deixando claro que, nesse caso, a minha empatia foi usada para explicar o que essas mulheres fizeram, mas não justificar. Entendem a diferença? Como estudante de psicologia eu sempre busco ver o outro lado, e eu preciso fazer isso, afinal pretendo trabalhar com psicologia forense. Mas eu também sou humana, e eu senti sim muito ódio em alguns casos.

Essas mulheres podem até ser frutos de suas épocas; as pessoas são educadas para acreditar em certos paradigmas. Mas elas não são coitadas, e nem merecem ser lembradas como ícones feministas (bom deixar isso claro, vai que, né?). No entanto, também não é bom tentar desumanizá-las: são pessoas, não monstros; pessoas que cometeram crimes horríveis!

Enfim, foi uma das melhores leituras do ano até agora. Eu amo estudar casos de criminologia, e serial killers são pessoalmente interessantes. Agora, serial killers mulheres se provaram ser um objeto de estudo ainda mais instigantes. Inclusive, esse livro me deu a ideia que faltava para o meu TCC. Sim, estou só no segundo ano, e sim, já estou pensando no meu trabalho de conclusão de curso (hehe)

mulheres que matam



Não estava planejando gravar um vídeo para falar sobre esse livro, mas não resisti, pois Lady Killers me rendeu tanta coisa em que pensar que produzir um conteúdo nesse formato se tornou quase inevitável. Nele eu falo algumas coisas que não falei na resenha, e vice-versa. Vocês decidem do que gostam mais!

Uma edição matadora



É óbvio que um livro escrito por uma mulher tão perspicaz merecia uma edição maravilhosa. Falo com propriedade que Lady Killers é uma das edições mais lindas da minha estante! A capa rosa, pra mim, só reforçou que eu adoro: o rosa não necessariamente está ligado à delicadeza ou àquela imagem de mulher frágil que insistem em nos fazer aceitar ainda hoje.

O marcador de páginas de fitinha é um dos mais inusitados que a DarkSide já fez: ele imita a fita amarela do Crime Scene, essa mesma que aparece nas fotos. Ah, e tem uma fita rosa também que fez par com o livro durante a pré-venda. Fez tanto sucesso lá no instagram que é impossível não se contagiar com o entusiasmo de quem estava recebendo o livro.

A folha de guarda tem várias caveirinhas, todos os detalhes das páginas (inclusive alguns grifos em frases que as pessoas insistem em perguntar se fui eu que fiz) são em rosa, preto e branco. Há ilustrações peculiares e lindas entre os capítulos. Tudo está incrível! ♡


Espero ter conseguido dizer tudo que eu queria na resenha e no vídeo. E tomara que mais pessoas tenham se animado para ler! Vocês podem comprar Lady Killers pelo site da DarkSide ou pela Amazon

A lady aqui se despede! ♥️

32 comentários :

  1. Como sempre arrasou nas fotos e na resenha...EStou louca por esse livro!

    ResponderExcluir
  2. Olá Luana, como vai? Eu estou vendo várias canais e blogues literários recomendando esse livro mas, não gosto de comprar/ler livros que estão na hype sabe? Fiz isso, algumas vezes e acabei me decepcionando. Eu amo livros sobre serial killers e história de assassinatos e, na maioria das histórias as mulheres assassinas são as piores, tenho certeza que esse livro é incrível mas, vou esperar passar toda a hype para poder ler.

    P.S: menina, suas fotos ficaram maravilhosas! Estou apaixonada por elas, parabéns.

    Beijos e Abraços Vivi
    Resenhas da Viviane

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou das fotos, lindinha!
      Eu te entendo quanto a não querer comprar livros muito hypados, mas... esse livro é incrível!!! Tenho certeza que vai gostar. O hype é real, ele é muito bom <3

      Excluir
  3. Tem como não amar esse blog? O vídeo ficou incrível! Deu pra sentir uma vibração contagiante de você em relação ao livro e é isso que eu tanto amo ❤ Espero supeeeeer que a Tori Felter escreva novamente um livro sobre (quem sabe) mais 14 assassinas em série!
    As fotos ficaram maravilhosas! Aliás, eu baixei o snapseed e me apaixonei muito! Os detalhes do livro são de matar! (trocadilho ^^)
    Estou prevendo uma especialista em criminologia hein! Quero ver você arrasando em psicologia garota! Sinto muito orgulho de ver os seus trabalhos maravilhosos em suas redes sociais! ❤❤❤❤

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você é tão fofo! Muito obrigada por todo o apoio de sempre <3
      Olha, meu sonho ser uma psicóloga forense, chefar ao Departamento de Ciência Comportamental do FBI e tal haha. Sonhar não custa nada, né?
      No momento estou lendo o livro do Ted Bundy, e também estou achando incrível <3

      Excluir
  4. Oiee!!

    Que resenha incrível!! Eu estou doida por esse livro, pois tenho grande interesse no tema e imagina minha satisfação quando vi o lançamento pela DarkSide. E claro, não posso deixar de falar dessa belíssima capa!!
    Fiquei mais doida ainda depois do seu post! Preciso pra ontem e esse vai vir de aniversário!!!

    bjs
    Fe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho certeza que vai amar o livro. Vai ser um presente de aniversário incrível! *-*

      Excluir
  5. Eu estava esperando uma resenha desse livro desde que vi você falando sobre ele em um vídeo do seu canal. Já disse por aqui que serial killers é um assunto que desperta muito minha curiosidade e me parece que o material sobre serial killers mulheres é bem escasso. Eu mesma só consigo me lembrar de ter ouvido falar sobre duas e, ainda sim, agora não consigo lembrar nem dos nomes. Enfim, claro que esse livro já está na minha lista de leituras. A Dark Side sempre arrasa e as suas fotos não ficam atrás.
    P.S.: quando estiver no wi fi verei o vídeo :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que honra saber que você ouviu falar do livro graças ao canal <3 é realmente uma leitura incrível! Mesmo que se fale muito sobre serial killers, não se fala tanto sobre MULHERES serial killers, e por isso esse livro veio em boa hora. Vai amar o livro, apenas isso que tenho a dizer.
      Ah, e obrigada pelo carinho de sempre *-*

      Excluir
  6. Desejo demais ler essa obra, confesso que desde que ela foi lançada, minha curiosidade está muito aguçada para saber dessa história na íntegra. Espero estar lendo em breve.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vai amar a leitura. É um livro excepcional <3

      Excluir
  7. Passando novamente por aqui para dizer que meu livro chegou!!! Vou ler, estou mega ansiosa pela leitura!!
    Abraços

    ResponderExcluir
  8. Que interessante! Realmente não me lembro de ter visto na mídia casos famosos de serial killers mulheres, e efetivamente nunca tinha parado pra pensar nessa questão. Acho que 3ssa obra vem elucidar muitas questões, como a influência da criação e de fatos traumáticos no passado podem atingir a psiquê feminina a ponto de se produzir uma assassina em série. Já quero esse livro pra ontem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você definiu bem o que esse livro é. Desde pequena eu assisto noticiários sobre assassinos em série, mas eram sempre HOMENS hehe.
      Tenho certeza que vai gostar da leitura <3

      Excluir
  9. Menina, que edição é essa, hein?! Me diga! Eu amei mais esse capricho da Darkside! A obra parece fantástica, sem contar que pela sua resenha o enredo parece magnífico! Histórias assim me chamam! Parabéns pelo seu belo trabalho!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A edição está impecável, pra combinar com o conteúdo hehe.
      Obrigada pelo carinho :*

      Excluir
  10. Oi Luh!
    Ah eu amei essa sessão de fotossss!!!! Representou muito todo a beleza e sanguinolência dessa edição maravilhosa da DarkSide! Também está na minha lista de mais lindos da estante! <3
    Tive algumas sensações muito parecidas durante a leitura (além de minha irma perguntando atônita: você passou marcador no livro????? ahahaha), tanto em relação a entender as mulheres quanto em sentir uma necessidade dessa obra, para desmistificar muita coisa em relação às mulheres seriais e às mulheres, de certa forma!
    xoxo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não creio! Todo mundo que me via lendo o livro achava que eu tinha usado marcador nele haha. Não que eu seja contra o uso de marcadores em livros, mas nesse eu não teria coragem de usar :p
      Estou curiosa para ler sua resenha, Rê!

      Excluir
  11. Oi Lu, tudo bom?
    Ai, estou LOUCA pra ler esse livro. Tenho muita curiosidade com essas histórias; embora seja assustador saber que as pessoas chegam ao ponto de tirar a vida de outra por puro prazer, acho interessante ler/ver e até estudar sobre esse aspecto da mente humana (e doentia, nestes casos de assassinos/assassinos em série).
    Parabéns pelo post e pelas fotos, incríveis como sempre. Ah, e depois vou conferir seu vídeo ;)

    Beijinhos e boa semana.
    Isabelle
    https://blogalgodotipo.wordpress.com/
    https://livrosgatoscafe.wordpress.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muita gente pode achar que quem gosta de true crime/criminologia é incessível ao fato de que pessoas morrem, mas eu, pelo menos, sempre me pego repetindo o que se passa na mente de alguém assim, que é capaz de tirar a vida de outra pessoa com as próprias mãos. É justamente essa curiosidade que me faz gostar tanto desse assunto!

      Excluir
  12. Uma das minhas edições mais bonitas da estante <3
    Estou apaixonada pelo capricho da editora e adorei o conteúdo. Só senti falta de casos mais recentes em destaque

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que a autora escreva novos livros com casos mais recentes também! :)

      Excluir
  13. A Darkside quando lança um livro, ela detona. Esse está fazendo muito sucesso em pouco tempo de lançamento. Estou muito curioso para saber dessa história na íntegra, espero estar realizando essa leitura esse ano ainda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse livro é fantástico. Mesmo já tendo a minha edição fico doidinha pelas fotos que vejo no instagram *-*

      Excluir
  14. Nossa, edição muito linda! O tema do livro me interessou bastante também, tenho gostado de histórias sobre crimes e investigação. Excelente post!

    ResponderExcluir
  15. Parabéns pelas fotos e pelo vídeo, ficaram ótimos! Bateu uma curiosidade, sempre me chama atenção como esses traumas mudam as pessoas, vou separar um tempinho para essa obra que aparentemente é interessantíssima :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um livro maravilhosos. Engrandecedor e interessante! <3

      Excluir
  16. Ah, esse livro... o que dizer? Eu confesso que não gostei da capa, mas esse é um pequeno detalhe. Aqui, no caso, é o conteúdo que interessa e que conteúdo. Sempre tive paixão por esse tema. Psicopatia é um assunto instigante em todos os sentidos e, no caso de mulheres, é impressionante. Alguém me disse certa vez. É raro e eu ri. Discordei. Há diferenças significativas. Os homens psicopatas precisam-carecem (é praticamente uma necessidade) de verem seus atos reconhecidos. Eles deixam rastros, se autodenominam ou esperam que os outros o façam. As mulheres não... claro que há algumas que fogem desse estilo e se expõe. Mas, a maioria não precisa ser reconhecida e se outro assumir ou levar a culpa, ela não se incomoda. Isso foi o ponto que me fascinou.
    Não acho que sejam monstros... acho que é preciso saber o que gerou a crise que levou aos crimes cometidos e isso é o fascinante. A análise que é necessária para compreender a persona e sua mente.
    Pronto, já estou eu aqui a viajar.

    bacio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aaah, eu gostei da capa. A edição como um todo me deixou encantada!
      Isso que você disse sobre mulheres assassinas é muito real. A maioria delas foi descoberta por mero deslize, e não porque queriam atenção para si. É diferente de Jack, O Estripador, por exemplo.
      Eu detesto o rótulo "monstro", pois pra mim se assimila aquelas pessoas que culpam o Diabo por tudo de errado que acontece. São sere humanos, pessoas que fizeram coisas horríveis e devem ser responsabilizadas por isso!

      Excluir

Recadinho: clique em "notifique-me" para descobrir qual foi minha resposta ao seu comentário, e para que possamos conversar melhor ;)