Conversando com um Serial Killer: Ted Bundy


O comportamento homicida daqueles que praticam um assassinato, depois outro e mais outro de forma bastante repetitiva. Essa foi a descrição que o agente especial do FBI Robert Ressler usou para o termo serial killer. Até o início dos anos 70 essa expressão não existia, ou, melhor dizendo, não era usada. Robert "patenteou" o termo depois de fundar a Unidade de Ciência Comportamental (Mindhunter pra quem está atualizado com as séries da Netflix). 

Um dos serial killers que, de certa forma, ajudou Ressler na sua pesquisa foi Ted Bundy, e um dos últimos lançamentos da Netflix foi a série Conversando com Serial Killer: Ted Bundy (que se Deus o universo quiser vai ter segunda temporada). Eu assisti, e, mesmo estando focada apenas em livros aqui no blog, resolvi falar sobre ela, e no final do post vocês vão entender como essa série se associa a um livro especificamente.


Theodore Robert Cowell, mundialmente conhecido como Ted Bundy, foi um dos assassinos mais temidos dos Estados Unidos. Ele foi acusado de matar mais de 30 mulheres de maneira brutal. Não vou falar detalhadamente sobre cada caso, até porque até hoje isso é um tanto incerto (o exato número de vítimas), mas preciso comentar o quanto isso é assustador.

A série original da Netflix é em formato de documentário, mostrando entrevistas com o próprio Bundy, imagens verdadeiras e montadas dos 60's, 70's e 80's (ponto para a fotografia!), e do próprio julgamento, e estas são com certeza as mais perturbadoras, pois são imagens reais e que mostram perfeitamente o quão insensível e narcisista era Ted Bundy. Os sorrisinhos que ela lança em direção às câmeras nos causam raiva e repulsa, pois é como se ele estivesse levando tudo na brincadeira. Ele se achava tão inteligente que insistiu em servir de advogado de defesa em seu próprio julgamento, transformando tudo numa grande comoção midiática e um palco para a seu egocentrismo.

Algo de que gosto muito de saber quando estudo casos de assassinos em série é sobre a infância deles. O fato de eu ser estudante de psicologia e fascinada pela psicanálise sempre fazem com que eu me interesse por isso. Bom, eu senti falta de um pouco mais disso na série: esses detalhes da vida de Ted Bundy que podem ter contribuído para que ele se tornasse daquela jeito. Mas eu entendo que talvez a intenção fosse exatamente deixar as coisas mais objetivas e focadas realmente na "carreira" sanguinária dele (não sei até que ponto isso é bom, mas enfim...).


Algo muito peculiar sobre esse caso é como algumas pessoas viam Ted Bundy. Muitas mulheres acreditavam que ele era inocente! Psicopatas são pessoas com personalidades agradáveis e encantadoras, além de muito espertos. É nítido o quanto ele usou disso para (tentar) manipular o júri, a mídia e as pessoas que estavam acompanhando o julgamento. 

No geral, é uma série documental muito boa! Pode se tornar um pouco maçante para quem não está acostumado com esse tipo de conteúdo (têm quatro episódios, mas eles são bem longos). Mas eu gostei, e gostei muito. O último episódio é de longe o mais tenso. Mesmo sem querer eu acabei me sentindo como se estivesse vendo a um filme.


Bom, aparentemente ainda veremos muito de Ted Bundy esse ano. Além da série falada nesse post e do filme Exteremely Wicked, Shockingly Evil and Vile (trailer) com Zac Efron que será lançado em breve, a DarkSide Books vai publicar o livro Um Estranho ao meu Lado. O livro foi escrito por Ann Rule, que conheceu Bundy em um centro de atendimento de prevenção ao suicídio sem fazer ideia de que aquele rapaz simpático que sentava-se ao seu lado se tornaria um dos assassinos mais famosos e temidos da história. O livro está em pré-venda no site da DarkSide, junto com a fita Crime Scene amarela e frete grátis!

Espero que tenham gostado do post. Nesse mês de fevereiro vou me dedicar mais a assuntos de criminologia, então é possível que eu volte a falar sobre serial killers, psicopatas e afins.

58 comentários :

  1. Não acredito que ainda não assisti essa série, já vou deixar salvo aqui na minha lista do netflix.
    Eu curto séries e livros voltados para criminologia.

    Beijos

    Camila Por Aí

    ResponderExcluir
  2. Eu fico apavorada de ver essas séries e filmes que a abordam histórias de psicopatas, fico imaginado como é dentro da mente deles porque tem tais ações e isso me intriga muito e fico muito triste pelas vítimas, quando é baseado em fatos reais então, não curto muito não!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já eu acho fascinante saber mais da mente de criminoso, pois assim abrimos mais a nossa mente e conseguimos entender o que levou certa pessoa a cometer tantas barbaridades!

      Excluir
  3. Eu AMO esse estilo de série! As vezes a gente fica indignada né, mas confesso que gosto demais do estilo. Não assisti essa ainda, mas estou colocando na minha lista agora!

    ResponderExcluir
  4. Oi Lu, eu fico super intrigada com séries, filmes e livros que abordam psicopatas. Lembro quando eu tava na escola ainda, e li uma matéria na super interessante, que a gente assinava na época, que era só sobre psicopatas e como funcionava a mente deles. E eles mencionavam justamente a questão do carisma, e que inclusive, nem todo psicopata mata, e alguns conseguem ter uma vida aparentemente normal, ocupar posições de altos cargos em empresas, porém não sentiam as coisas da mesma forma que nós. Enfim, pode ser que esteja falando alguma besteira porque ahaha Só sei o que li na revista, mas imagino que do ponto de vista da psicologia seja bem interessante estudar.
    Aaah, e já assistiu a série Dexter? É uma das minhas favoritas e praticamente devorei todas as temporadas.
    Beijoos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sempre fui atraída para esses assuntos. Lembro-me de quando era mais nova ficar assistindo reportagens gigantescas e levemente apavorantes sobre assassinatos, serial killers, canibais! Lendo o livro Anatomia do Mal a gente percebe que, sim, alguns serial killers, levam vidas normais e depravadas ao mesmo tempo. Sabia que uma quantidade considerável de assassinos em série já trabalharam como funcionários públicos? Socorro haha!
      Obrigada pela indicação, lindinha. Já ouvi esse nome, mas não sei exatamente do que se trata.

      Excluir
  5. Eu ainda não vi esse documentário, mas esses dias pesquisei sobre esse serial killer porque saiu sobre o filme como zac efron. Depois de ler seu post me deu mais vontade de ver esse documentário.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou, no mínimo, curiosa sobre esse filmes, embora tenha achado tudo nele um tanto glamourizado e sensacionalista. Vamos ver haha.

      Excluir
  6. Eu adoro tudo que tem relação com suspense e investigação, ainda mais se for um documentário. Não me importo se cada episódio tem 20 minutos ou uma hora, quando é algo desse estilo eu sempre fico grudada.
    Ainda não conhecia esse, mas minha prima me recomendou um outro, é uma pena que eu tenha esquecido o nome, mas já salvei na minha lista da Netflix.

    Blog Covil Dourado | Instagram

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agora fiquei curiosa para saber qual foi a indicação da sua prima hehe. Espero que consiga assistir esse do Bundy!

      Excluir
  7. É muito comum psicopatas terem fãs que acreditam na sua inocência. Tem mulher que chega a casar com um psicopata na prisão, mas é como você disse eles sabem ser manipuladores
    Estou criando coragem para assistir a série, já li muito sobre psicopatas, mas sempre fico com receio de assistir um documentário, filme ou série

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. SIM! Ted Bundy se casou enquanto estava preso no corredor da morte. Isso é bizarro!
      Ah, e eu tenho certeza que vai amar a série, chuchu. Ela é ótima!

      Excluir
  8. Essa série está dando o que falar, e olha que é um documentário, quero ver quando sair o filme. Eu sou um pouco curiosa e gosto de assistir documentários sobre psicopatas e criminosos, mesmo que sinta um pouco de medo às vezes.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho que o filme vai dar mais o que falar haha. Vamos aguardar o lançamento!

      Excluir
  9. eu gosto de assistir documentários de assassinatos pelo simples fato de como os investigadores conseguem desvendar os mistérios da morte da pessoa (embora seja triste), e entre todos eu sempre vejo que o assassino é quem a gente menos espera. costumamos ver o assassino como alguém louco das ideias e tal e nunca alguém que a gente confia ou que seja bonito e simpático.
    estou aguardando pra ver esse documentário há um tempo e quero muito ver o desenrolar da história. pesquisei muito pouco sobre ele, mas com certeza me surpreenderei bastante. ótimo post ☺

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Têm muitas questões envolvendo serial killers. São loucos ou cruéis? Esse tipo de documentário vai clareando nossa mente quanto a isso!
      Fico feliz que tenha gostado do post, moça :*

      Excluir
  10. Gosto bastante de assistir documentário e meu noivo pode confirma isso,todo dia assisto 3 😂
    Esse não tinha visto, agora estou curiosa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que meta de vida conseguir ver três documentários por dia hahaha!

      Excluir
  11. Oi, Lu! Tudo bom?

    Pára tudo! Sério que você também tá se identificando com a psicanálise?! Adoro! Depois quero conversar com você sobre qual/is autores você tem estudado e curtido! Enfim, voltando ao foco do assunto. Eu não tenho o costume de acompanhar esse tipo de conteúdo, mas sempre que me vejo consumindo coisas do estilo fico EXTREMAMENTE interessada e começo a pesquisar os casos mais a fundo. Gosto de coisas no estilo de documentário, então acho que vou dar uma chance pra série antes de ler o livro - mas já pressinto que também sentirei falta do investimento na infância do Ted Bundy.

    Abraços,
    Gislaine | Literalize-se

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gi. Sim, eu adoro psicanálise, mesmo sabendo que tem que forçar um pouco a mente pra entender, e estudar por um tempo consideravelmente maior para poder se autodenominar "psicanalista". Em Psicologia do Desenvolvimento I vimos Freud, Melanie Klein e Winnicott. Agora, em Psicologia da Personalidade O, vamos ver mais Freud (óbvio!), Jung e Lacan :)
      Ah, se você assistir ao documentário me conta o que achou <3

      Excluir
  12. Eu tô só atualizando algumas séries mais antigas pra iniciar essa, fiquei louca quando vi na netflix! Estou com muita vontade também de adquirir o livro, quando for lançado.

    www.agendaleatoria.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Eu acho que tenho mais uma série para minha lista!! Eu tenho um amor por documentários, e quando trazem entrevistas e dados antigos para fazer aquela linha cronológica, acho um máximo. Sempre adorei psicologia, principalamente pelo método de análise da mente, e filmes, séries ou até documentários que trabalham nessa temática me fascinam. Obrigada pela dica flor. Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou, moça Se você gosta de tudo isso que listou tenho certeza que vai amar essa série. Depois me conta o que achou ;*

      Excluir
  14. Comecei assistir o documentário ontem e nem sei explicar o meu sentimento.
    Eu sempre me interessei pelo assunto, em entender ( ou melhor TENTAR) o que os motiva pra cometeis tais crimes. E logo de cara dá pra ver como ele distorce a própria imagem, né?
    Quero finalizar esse fds =)

    Beijos
    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal saber que começou a ver, Clayci! Quero saber depois as suas opiniões e conclusões sobre. É muito bizarra a forma como Ted Bundy agia o.O

      Excluir
  15. Achei a série interessante, não sei se vou assistir porque já to com uma lista enorme sem fim xD~
    Valeu pela dica o/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha lista também está meio grandinha hehe :p

      Excluir
  16. Oie!!

    Bem perturbador!
    Estou terminando uma série e vou pegar essa para assistir. Mas, apesar de ser uma curiosa no tema, sempre vou preparada, pois sei que choca demais.
    Esse comportamento do psicopata me traz muita curiosidade e eu sempre tenho interesse de saber sobre a infância
    Adorei o post!

    bjs
    Fernanda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já conversei com várias pessoas que viram a série e todas adoraram!
      Que bom que gostou do post. Depois me conta o que achou de tudo ;)

      Excluir
  17. Eu acho que já comentei por aqui que tenho muito curiosidade em ler sobre serial killers/psicopatas. É um assunto que me interessa muito, sempre procuro tentar entender como funciona a mente de pessoas assim. Ted Bundy acho que talvez seja um dos mais conhecidos e uma das coisas mais bizarras com relação a ele é como ele tem "fãs". Ouvi falar dessa série/documentário por esses dias, agora estou sem tempo para ver, mas anotei aqui para assistir futuramente. Não sabia desse filme com o Zac Efron e nem do livro da DarkSide. Realmente Ted Bundy ainda rende muito assunto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ted Bundy foi um dos assassinos em série mais temidos dos EUA. É bizarro, hoje, pensar que ele realmente teve admiradores, mas, naquela época, ele era considerado um homem bonito e amável. Usava disso justamente para encantar as pessoas. O filme já está recebendo críticas justamente por parecer romantizá-lo. Mas quero assistir mesmo assim, nem que seja pra criticar com propriedade hehe.

      Excluir
  18. Vi hoje um vídeo no canal Freak TV falando sobre o Ted Bundy e eu percebi que esse cara foi um completo lixo. No vídeo estava dizendo que no dia de sua morte várias "fãs" dele estavam lá para assistir tudo. Eu não consigo acreditar que um cara que matava tantas mulheres teriam outras como fãs, isso é muito bizarro!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ted Bundy era um psicopata que sabia usar de sua aparência e voz suave para encantar as pessoas. Mas é realmente bizarro pensar que existiam pessoas que acreditavam piamente que ele NÃO tinha matado aquelas mulheres! o.O

      Excluir
  19. eu, por colaborar com o , publiquei esse doc., e só pensei "nossa que moço bonito", mesmo sabendo que é assassino. daí meu interesse em assistir, e qual não é minha surpresa quando leio o título do primeiro episódio! hahaha

    fiquei curiosa para uma segunda temporada. quem sabe não tem os aspectos históricos da infância dele, como tu sentiu falta?

    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não dá pra negar que o Bundy tinha uma boa aparência. Talvez seja por isso que tanta gente acreditava em sua inocência. Ah, e eu acho que a segunda temporada vai tratar de outro serial killer :p

      Excluir
  20. Também tenho curiosidade em saber como funciona a mente de seriak killers, sempre me interesso por filmes/séries/livros que abordem o tema. Ainda não assisti essa do Ted Bundy mas já está na fila. Atualmente estou vendo O Assassinato de Gianni Versace (tem na Netflix) e é muito interessante. Foca na mente perturbada de Andrew Cunanan, o assassino do estilista, recomendo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pela indicação. Já vou adicionar na minha lista <3

      Excluir
  21. Oi Luana, eu me lembro de ter estudado a personalidade dissociativa de Bundy no terceiro ano de psicologia e ao analisar a infância dele, alguns fatos curiosos ganharam destaque e acho que eu fui a única da turma a discordar de que o fato de ser criado pelos avós, sem saber que a pessoa que considerava sua irmã era, na verdade a sua biológica foi a chave de seus problemas.
    Na minha opinião ele não era tão inteligente como se considerava e seu consciente emocional era pífio, foi o que o levou a bancarrota ao receber um não da namorada, com o qual não soube lidar. Ele se esforçava em ser aceito, querido e o efeito era sempre contrário. A guerra era entre e a imagem que tentava projetar. As características das mulheres-vítimas lembram a namorada e não a mãe ou a avó, logo a criação não foi o problema e sim a recusa com a mulher que ele pretendeu formar família e ser feliz.
    Mas, acho que as pessoas preferem sempre responsabilizar a mãe ou a que se coloca na condição de mãe do individuo. Nunca concordei com isso e nunca optei por essa linha. Quando os pais criam o filho sem permitir que esse siga com sua vida, há um problema, mas há meios de se desassociar disso.
    Enfim, voltando ao Bundy, acho que ele escolheu se defender como última tentativa de testar sua eficiência em convencer e não por se considerar inteligente e o riso, era mais ou menos como o personagem de Dostoiévski que matou em Crime e Castigo por achar que não sentiria remorso. rs
    Ok. assunto favorito detectado com louvor. rs

    bacio, bom domingo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal você ter visto Bundy aprofundadamente na faculdade! Pra mim, apesar de ele ser esperto e saber usar das palavras mansas para encantar as pessoas (a quantidade "fãs" é prova disso), ele também era extremamente arrogante e se achava mais esperto que todo mundo, o que não é verdade, afinal ele tentou ser seu próprio advogado no julgamento (WTF?!). Eu senti uma raiva tremenda daqueles sorrisinhos que ele lançada pra a câmera. Ted Bundy realmente acreditava que seria inocentado.
      Ah, moça, estou pensando em falar mais dessas séries por aqui, mas ainda estou em dúvida. Claro que não vou saber me aprofundar muito em questões psicológicas, pois ainda sou uma leiga, mas, também quero estudar para falar disso. Não sei, é um assunto tão interessante :)

      Excluir
  22. Eu acho angustiante e interessante ao mesmo tempo assistir esse tipo de conteúdo... A gente tenta analisar o psicológico da pessoa (no seu caso profissionalmente, mas no meu de modo amador), pensando o que ela poderia ter se tornado se não fosse aquela falha no cérebro que torna um psicopata! Assisto muito ID, o canal de investigação, e é aquele negócio, a gente não quer conhecer pessoas nunca mais com medo de aparecer alguém assim... Ao mesmo tempo que dá vontade de tratar, pô, não dá pra ignorar o modo como a pessoa matou tantas outras, né? Bizarro.
    Ainda não vi essa série, mas vou até adicionar na minha lista. Acho lega você falar de séries por aqui, independente de adaptações de livros!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Profissionalmente, eu? Ainda sou uma leiga haha. Mesmo estando lendo bastante sobre criminologia, eu não passo de uma pseudoamadora por ora.
      Se você gosta de programas de investigação vai adorar essa série, Luly. Estou no aguardo da segunda temporada com o próximo serial killers!

      Excluir
  23. Essa série tá tendo muita repercussão no meu Twitter, tanto comentários falando sobre a magnitude da série, quanto sobre alertando para o perigo de produções sobre assassinos.
    Não assisti, mas pelos comentário, achei que a série se pareceu um pouco com Unabomber. Você já assistiu? Se gosta de séries nesse estilo, vale muito à pena assistir :)
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que tem de haver muita consciência e noção na hora de fazer uma série ou filme sobre serial killers ou casos de criminologia. Um exemplo é o próprio filme sobre Bundy que será lançado e que já está recebendo críticas por causa do trailer, que lembra bastante algo como um reality show.
      Obrigada pela dica, chuchu ;)

      Excluir
  24. Oi, Luana!
    Li seu texto anteontem, mas estou comentando apenas hoje. Vou assistir com certeza, tanto a série quanto o filme. Assisti os dois trailers e fiquei convencida. Já li muitos artigos psiquiátricos sobre psicopatas anos atrás.

    Após ler seu post fiquei animada de assistir vídeos reais e pequenos documentários sobre este Ted Bundy.

    Os psicopatas não sentem remorso e nem culpa. Eles vivem para alimentar o próprio ego. Eles são avassaladores por onde passam. Avassaladores de corações, de mentes e, infelizmente, em alguns acasos, avassaladores de corpos (no caso dos que se tornam assassinos).

    Eu imagino que esta última entrevista que ele deu foi toda premeditada. De tudo que já estudei sobre psicopatas, é bem capaz que ele pensou em tudo o que confessou e da forma que confessaria. Provavelmente a confissão é cheia de mentiras - sempre para alimentar o ego dele e algum objetivo oculto que ele tenha. Ele ficou pra história. Virou manchete. Tinha muitas fãs. Inteligente como era já sabia que viraria filme, então ele próprio quis criar conteúdo para a posteridade. Infelizmente, psicopatas são seres doentios, incapazes de amar. Eles apenas aprender como disfarçar a psicopatia e, inteligentes como são, psiquiatras dizem que eles aprendem a se comportar como pessoas normais apenas para atingir os objetivos. Mas são monstros por dentro.
    :S
    Que tenhamos sabedoria e fiquemos alerta para ficar bem distante deles, pois pesquisas nos EUA apontam que cerca de 5% da população é formada por psicopatas.

    x

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico muito feliz que o post tenha te incitado a ir atrás de mais conteúdo sobre o Bundy. Quero ver o filme, nem que seja para criticar (criticar com propriedade haha).
      Ted Bundy era um enorme narcisista que achava que estava no controle de tudo. Usou das palavras e da aparência para emocionar o público e os jurados, além de, com certeza, estar convencido de que seria inocentado!
      Sobre os psicopatas "do mundo', existe um mecanismo de defesa na psicanálise chamado sublimação. Basicamente a pessoa pega uma característica ""negativa"" em si e transforma em algo positivo, por exemplo em uma profissão. Acredito que esse seja um meio para psicopatas conseguirem viver em sociedade, até porque nem todo psicopata se torna um serial killer rs.
      Obrigada pelo comentário, chuchu :*

      Excluir
  25. Oi Luh!
    Eu assisti ao documentário e fiquei surpresa de alguns feedbacks que falaram que a série era 'parada'. Eu não sei se estavam esperando um episódio de Criminal Minds e não sabem o que é um documentário... rs Mas, enfim, eu achei a construção dos episódios muito boa e do tipo que deixa a gente fascinada, aturdia e estupefata. É impossível não se impressionar, afinal, é um caso verídico.
    Estou super curiosa para assistir o filme e também pelo livro da Dark, assim que puder vou garantir o meu!
    xoxo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que quem não está acostumado a esse tipo de conteúdo vai achar massante, mas eu achei ótimo. Vi um episódio por dia, e gostei demais, mesmo com os "furos" de que falei.
      Aaah, e eu quero esse livro da Dark, com certeza *-*

      Excluir
  26. Oi, Lu!
    Acho fascinante essa "temática" de serial killers, psicopatas e afins - apesar de ser tudo assustador, então com certeza irei assistir essa série em breve (que eu pensava que era filme até ler seu post, yep)
    Interessante também esse livro que será lançado pela DarkSide. Já vai pra lista de futuras leituras.
    Parabéns pelo post!
    Beijinhos e boa semana.
    Isabelle

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse livro da DarkSide está na minha lista de leituras desde que foi anunciado haha. Estou tão curiosa por ele, assim como pelo filme, mesmo com as críticas que já está recebendo!

      Excluir
  27. Oi Luh, tudo bem? Achei bem interessante sua dica de hoje. Sempre que assisto um documentário ou série com esse tema fico me questionando os motivos, a mente e tudo que cerca essas pessoas. É mais curioso ainda pensar no lado psicológico. Será que eles têm remorso, se arrependem depois? Ou fazem isso apenas para "chamar atenção"? A série apareceu nas indicações quando faço login mas ainda não vi nenhum episódio mas agora fiquei curiosa. Beijos, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Freud explica, Érika. Freud explica haha. Brincadeiras à parte, é fascinante estudar a mente das pessoas e passar entender melhor o que leva alguém a fazer algo como o que Ted Bundy fez!Tem muita a ver com impulsos sexuais e experiências vividas na infância, mas ia demorar demais pra eu conseguir explicar aqui hihi.

      Excluir
  28. Com certeza já está na minha lista!!! Eu adoro esse tipo de temática... Adorei a dica; como sempre!!! Beijinhos

    ResponderExcluir
  29. Oi, Luana!
    Voltei aqui sabe por que? Porque estou vendo esta série por indicação sua. hehe. Você me convenceu.
    Vou pro terceiro episódio. E olha só, acertei o que previ. O próprio entrevistador diz que o Ted queria falar e falar como se estivesse cedendo material para que escrevessem uma biografia dele... :D Bem coisa de ego de psicopata.
    Série SUPER bem feita, bem como você falou. É um documentário que cativa mesmo. Só não vi todos os episódios em sequência porque já era umas 3h da madru. hehe
    Bjinhos e valeu a indicação

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que felicidade saber que alguém seguiu minha dica haha.
      Ted Bundy seguia aquele ditado: fale bem ou fale mal, mas fale de mim. É como se ele soubesse que livros e séries e filmes seriam lançados contando sua história! Narcisista e egocêntrico ao extremo!
      Depois volta aqui e me conta tudo que achou :)

      Excluir

Recadinho: clique em "notifique-me" para descobrir qual foi minha resposta ao seu comentário, e para que possamos conversar melhor ;)