Harry Potter e as Relíquias da Morte - Always!


O Ministério da Magia adverte: esse post pode conter spoilers!

Eu adiei ao máximo o momento de escrever esse post. Parece que foi ontem que comecei a falar sobre Harry Potter aqui no blog, e agora, quase dois meses depois de ter terminado a série, é que finalmente tive coragem o suficiente para sentar diante do computador e começar a escrever sobre esse final e, não sobre ele, mas fazer um compilado, uma homenagem a essa história que tanto me marcou, me mudou, me emocionou... inclusive, está me emocionando agora, pois acabei de perceber que hoje é dia 2 de maio, e foi no dia 2 de maio de 1998 que ocorreu a Batalha de Hogwarts!

Assim que cheguei em Harry Potter e as Relíquias do Morte minhas emoções estavam em frangalhos. Eu me lembro bem da tristeza, da raiva e da euforia que senti quando peguei o último livro em mãos e comecei a lê-lo. Foi um dia (literalmente um dia, eu li esse livro em um dia!) inesquecível, pois, mesmo quando eu senti meus olhos arderem, não parei de ler. E quando finalmente terminei tudo, incluindo os filmes, já passavam das 3AM, e eu só conseguia chorar, chorar e chorar. 


Eu já comecei a leitura tensa. Tudo que eu havia aprendido com Harry Potter, e tudo que eu havia sentido até então, não chegou nem perto do turbilhão de sensações que esse último livro me proporcionou. Voldemort estava mais forte do que nunca. Harry, Rony e Hermione partiram numa missão suicida sabendo quase nada. Personagens tão queridos e tão amados morreram logo no começo (R.I.P Edwiges!). Eu odiava o Snape mais que tudo!

Mesmo que meu livro favorito ainda seja O Prisioneiro de Azkaban, é nítido o quando a escrita de J.K. Rowling foi crescendo, se tornando mais adulta, e como ela foi reunindo cada vez mais detalhes que formaram algo muito maior no final. A narrativa pode até parecer densa, pois os personagens estão sofrendo, mas não deixa de ser maravilhosa, evolvente, viciante. A Batalha de Hogwarts foi épica, em especial aquele confronto entre Harry e Voldemort que me deixou em êxtase. 


Antes de falar mais alguma coisa, eu preciso exaltar Severo Snape. O arrependimento que eu senti por ter desejado sua morte não conseguiu ser expresso em forma de lágrimas, pois, mesmo tendo chorado o suficiente para uma vida inteira no capítulo "A história do Príncipe", eu ainda me sentia mal. Desde o início ele foi um personagem que me intrigou, que me chamou a atenção. Eu tinha certeza que havia bem mais por baixo daquela fachada carrancuda, e eu me esqueci completamente disso depois dos eventos de Enigma do Príncipe. Queria que ele sofresse, que ele morresse.

Bem, assim que Harry começou a ver as memórias do Snape na Penseira, eu desabei. Literalmente. Chorei o capítulo inteiro! Aquele capítulo foi a rendição de Severo Snape, e tudo que ele passou, seus arrependimentos, seus erros, seu sofrimento, me encheram de empatia e acabou que o Príncipe Mestiço se tonou o meu personagem favorito de toda a série. Dá pra apender tando, mais tanto com ele, mas como o post ia ficar enorme se eu começasse a discorrer sobre isso agora, quero terminar dizendo que Snape é um dos personagens mais humanos de toda a série!


Bom, o que dizer sobre as mortes desse livro? Não é mentira: eu chorei em praticamente todas (em especial na do Snape). Adicionando um comentário pessoal aqui no meio, eu tive de parar de escrever esse post por pelo menos uma hora porque comecei a lembrar de todos os personagens que se foram e chorar capciosamente. 

J.K. Rowling destruiu meu coração, me fez chorar antes de dormir todos os dias por uma semana. Harry Potter mudou a minha vida, me deu lições infinitas sobre amor, amizade, coragem, empatia, superaração, persistência, arrependimentos, esperança. Acredito que essa história gira em torno de descobrir o que é importante para você, e que, não importa o que seja, estamos dispostos a ir até o fim por tudo que amamos.

Eu vou me lembrar sempre de cada sensação que senti ao ler cada livro pela primeira vez. Da euforia de descobrir qual era minha casa, do medo que senti no capítulo "De Volta à Floresta", das lágrimas. Harry Potter me ensinou que as nossas escolhas importam muitos mais que as nossas qualidades. E que o amor é a magia mais poderosa do mundo, que ele é capaz de mudar as pessoas. É uma história que, mesmo que se passem muitos, muitos e muitos anos, estará sempre comigo, gravada no meu coração. Sempre!





Ok, passado um pouco do momento de emoção... não, espera, ele não passou. Parece que, pra compensar os incontáveis erros que temos nos filmes de Cálice de Fogo, Ordem da Fênix e Enigma do Príncipe, quiseram dividir As Relíquias da Morte para fazer boas adaptações. E deu certo, embora ainda tenham pecado em algumas coisas.

Não preciso nem dizer que chorei nas duas, não é? Acho que o momento mais emocionante dos dois filmes é o das memórias do Snape, pois, embora não tenha ficado totalmente igual ao livro, a cena foi impecável, perfeita. Até hoje, depois de já ter visto os filmes incontáveis vezes, eu vejo chorando quando a Lílian conversa com o bebê Harry: be safe. be strong. E quando Snape encontra o corpo dela?! Que dor no coração que eu senti com aquilo!

Acredito que o único erro foram tentar deixar as mortes do vilões meio transcendental, inumano. O Voldemort virando poeira não chegou nem perto do duelo que ocorre entre ele e Harry no livro, onde o Harry o desarma, o humilha diante de todos. Fora isso, eu amei os dois filmes, pois é incrível poder visualizar tudo que acontece nos livros em forma de obras cinematográficas.

Agora, como provavelmente não terão mais filmes, o jeito é esperar por Animais Fantásticos que, cá entre nós, é lindo também. Ah, só queria deixar registrado que eu li Harry Potter e a Criança Amaldiçoada, e um filme sobre essa história entraria naquele caso: deus me livre mas quem me dera haha!



Aaah, minha coleção cresceu consideravelmente. Não chega nem perto da quantidade de coisas que eu quero, mas para alguém que há quatro meses tinha apenas o primeiro livro, estou muito orgulhosa dela.

Depois que consegui aceitar a Grifinória como minha casa, resolvi que queria um cachecol, aquele bem clássico que aparece no primeiro filme. Sempre que o vejo na estante não acredito que é meu. Também comprei uma varinha igual a do Harry, um Vira-Tempo, Os Contos de Beedle, o Bardo, uma garrafinha da Grifinória, todos os filmes, incluindo Animais Fantásticos e Onde Habitam. 

E o último item que chegou à minha coleção é muito especial: eu ganhei uma corujinha da minha professora da faculdade. Tenho uma Edwiges só pra mim! Tudo bem, ela não é uma Edwiges-real-oficial, mas, pra mim, ela é melhor do que qualquer outra corujinha, Além disso, ela veio do Canadá (tem uma folha vermelha num dos pesinhos), e espero que ela vá junto comigo pra lá um dia *-*




Bom, quero encerrar esse post dizendo que, se você ainda não leu Harry Potter, dê uma chance. Embora eu tenha certeza que o Cosmos manipulou tudo para que eu lesse na hora certa, na hora que eu mais precisava de Hogwarts, teria amado conhecê-la quando era pequena. Não é uma "modinha" que todo mundo gosta. É uma história realmente incrível, épica!

Obrigada por tudo pessoal, e obrigada por tudo, Hogwarts! ❤


“after all this time?

- always.

12 comentários :

  1. Ahhh não! Não acredito que acabou essa série de postagens sobre os livros, preciso de mais hahaha. Vou acabar fazendo algumas postagens sobre Harry Potter no meu blog também, pois não acho digno ficar sem falar sobre esse maravilhoso universo, mas vou pensar bem, deve dar um trabalhão debater sobre isso e ser original ao mesmo tempo, como você foi nessa série de postagens <3
    Nem preciso dizer que amei esse post né? Tá na cara! Apesar das Relíquias da Morte não ter sido o livro que mais gostei (assim como você, O Prisioneiro de Azkaban, tem um lugar especial em meu coração), acho esse livro super tenso e bem construído. É como você escreveu, a escrita cresce e amadurece a cada livro, assim como os personagens, acho que nunca senti isso em uma saga literária do jeito que senti nessa. Gostei muito de como as coisas de "amarraram" do livro e também gostei do final, tirando a morte do Fred e o Dobby, o livro foi perfeito.

    Dito isso, quero mudar um pouco de assunto para o mesmo... Você está jogando o jogo Harry Potter Hogwarts Mystery? Está gostando? Pretende postar algo sobre ele aqui no blog? Quero muito saber =D

    Parabéns pelo post, ficou incrível! Sinto que fiquei um pouco órfã agora, mas vou superar hahaha.
    Beijinhos <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Será que vale a pena eu falar sobre A Criança Amaldiçoada? Não sei se você leu, mas eu não consigo levar aquele livro a série o.O
      De toda forma, eu não vou parar de falar desse universo maravilhoso por aqui, pois ainda tem Animais Fantásticos!!!
      Ah, e eu tenho certeza que o post no seu blog vão ficar lindo *-*

      Sabe, um dia eu ia gostar de encontrar todo mundo que conheço virtualmente e que gosta de Harry Potter para debater sobre os livros. Nesse último acontece tanta coisa que nem se fui capaz de transmitir tudo por meio das palavras do post.

      Sobre o jogo, eu realmente esperava mais... algo meio mundo aberto como é Pokemón Go. O meu está parado lá, qualquer hora, talvez, eu fale dele aqui.

      Muito obrigada por todo o carinho :*

      Excluir
  2. Oi Lu! Não creio que você já chegou no fim dos livros! Tão bom saber que você gostou, se envolveu com a história e a história também te envolveu, se emocionou e que Hogwarts estava lá para você quando mais precisou <3 Adorei acompanhar a sua trajetória enquanto lia a série, como absorvia isso, como era a sua percepção sobre os livros. Então, a minha coleção não tá tão bonitinha que nem a sua, na verdade é a capa normal mesmo porque quando comprei, essas capas lindas ainda não existiam haha Mas me contento em admirar as suas HEIOEHO Sabe que eu sempre quis ser da grifinória, e quando era mais nova jurava que essa era a única casa para mim, mas não sei, com o passar do tempo desenvolvi tanto carinho por todas, que acho que no final das contas, sou um pouquinho de cada. Ou talvez eu só seja indecisa mesmo :p
    Beijão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu quase não em aguento ao lembrar que há pouco tempo estava falando sobre o primeiro livro. Essa história é maravilhosa e me mudou de maneiras extraordinárias!

      Vou dizer a verdade: mesmo amando essas minhas edições, ainda quero muitas outras. Fã de Harry Potter é tudo maluco e quer ter tudo quando edição.
      Quanto a escolha da sua casa, acho que você tem de ir para a que mais se sente bem... e também ter um pouco de desconfiômetro pra saber qual não tem a ver com você. Eu, por exemplo, amo a Sonserina, mas não tenho praticamente nenhuma característica da casa. Recomendo um daqueles testes que mostram a "porcentagem" de você que se encaixa em cada uma das casas :)

      Beijos.

      Excluir
  3. Li Harry Potter em 2012 quando tinha entre 15 e 16 anos e foi a melhor saga que li em toda a minha vida. Até hoje eu paro tudo o que estou fazendo e faço uma maratona dos filmes para manter a história viva em minha mente (também pretendo reler os livros)!
    Enquanto lia sua resenha, me emocionei lembrando das mortes dos personagens e também dos ensinamentos que J.K. nos passou. Sua resenha ficou linda e me transmitiu o que você sentiu durante a leitura do livro!

    De objetos da saga, só tenho os dvds (Animais Fantásticos também) e os livros (incluindo Os Contos de Beedle, O Bardo; Quadribol Através dos Séculos e Animais Fantásticos), são os meus xodós <3 Ah, eu também fiz o teste no Pottermore e sou da Sonserina!

    Amei seu post, mesmo <3

    Beijos
    Inverno de 1996

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho tão maravilhoso ler comentários como o seu, pois percebo que essa história tocou de maneiras inimagináveis muitas outras pessoas <3 Eu amo fazer maratona dos filmes e ficar folheando os livros!

      Ainda quero muitos outros livros e objetos da saga, mas, por ora, estou orgulhosa da minha coleção modesta mas muito mada <3
      Ah, e você é da minha casa favorita depois da minha Grifinória (pois seria quase uma traição eu dizer que minha casa favorita é a Sonserina haha mas eu amo essa casa também!).

      Fico muito feliz que tenha gostado do post :*

      Excluir
  4. Eu tenho um amor muito grande por HP. E olha que o meu primeiro contato foi com o terceiro filme! Até então eu não tinha lido nada e nem assistido nenhum filme, mas uma amiga praticamente "me forçou" a acompanhar ela no cinema e foi aí que eu conheci esse universo tão incrível. Depois disso, como boa leitora que sou, devorei os livros. E por mais que eu já fosse um pouco "velha" a história me encantou. Não vou ser repetitiva porque eu diria praticamente as mesma coisas que você disse, é muito mais que uma simples história. O último livro eu chorei horrores lendo, mas nos filmes só chorei com a morte do Dobby. Inclusive, depois da primeira vez, nunca mais assisti essa cena, me recuso, saio da sala, mas não consigo ver ele morrendo. Enfim, amei o post, amei as fotos e deu pra sentir na suas palavras o amor por HP.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agradeça a sua amiga por ter te obrigado a começar a gostar da saga haha. Acho que Harry Potter é uma história atemporal; não tem essa de ser "velha demais para gostar" :)

      Ah, eu não vou nem descrever com detalhes como a morte do Dobby me destruiu. Ele era tão inocente, tão bonzinho. JK se desculpou esse ano pela morte dele, mas eu não vou perdoá-la nem se ela se ela fizer um vídeo se ajoelhando e implorando haha.

      Beijos e obrigada :*

      Excluir
  5. Eu cresci lendo Harry Potter e me lembro que quando terminei o primeiro livro eu me via em cada cena, acredito que porque eu tinha a mesma idade das crianças da historia e desde muito pequena amo bruxas. Devorei cada livro, assisti todos os filmes varias vezes e ainda hoje no auge dos 30 aninhos sou apaixonada pela história e por tudo que aprendi enquanto criança!! Parabéns pelo seu post ❤️

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seria meu sonho voltar no tempo e ler Harry Potter com 11 anos?! *o*
      Obrigada, chuchu :*

      Excluir
  6. Você me fez pensar em mim quando cheguei ao final da leitura dos livros de Jane Austen. Eu amava cada livro. Me envolvia com as personagens, me misturava a elas. Tinha raiva de uns. Odio de outros. Chorava. E quando chegava ao final, só conseguia pensar que era como a vida... tudo tem o seu momento.
    Nossa, eu só tenho os livros. Vários. Em idiomas diferentes, editoras diferentes. São vários. rs
    Mas era de outra época, não tinha a metade das coisas que tem hoje. Eu li o Harry Potter quando começou a febre e adorei, mas depois 'me distrai' com os livros da faculdade e só voltei a ler quando soube que seria o último. Mas já não foi a mesma coisa.
    Gostei imenso desse vosso post.

    bacio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Moça, se eu te contar que eu estou com uma edição de Orgulho e Preconceito aqui intocada que ainda não li você fica brava? Eu a ganhei de um senhor, e ela é bem velhinha, em capa dura e lisa, parecendo aqueles livros de dois séculos atrás. É encantadora, e prometo que vou fazer o possível para ler até o final desse ano :)
      Muita gente fala bem desses romances para mim, o que só me deixa mais animada ainda pra ler!

      Muita obrigada por todo o carinho e comentários lindos de sempre :*

      Excluir

Recadinho: clique em "notifique-me" para descobrir qual foi minha resposta ao seu comentário, e para que possamos conversar melhor ;)