Últimos filmes que assisti #11

Foto: Reprodução/We Heart It
Fico meio desanimada quando olho o lugarzinho do meu mini journal reservado a filmes assistidos, pois ele quase sempre está vazio. Juro que tento assistir a pelo menos um filme por semana, mas tenho tanta preguiça de sair procurando na Netflix que acabo vendo algum repetido ou só assistindo desenhos na televisão hehe. Pelo menos os últimos que assisti foram todos legais e, me arrisco a dizer, incríveis!

O quarto de Jack 


Jack tem cinco anos de idade e não conhece nada do mundo, além do quarto onde nasceu e foi mantido em cativeiro ao lado de sua mãe.

Que filme lindo! Não tenho palavras para dizer o quanto me encantei por essa história, tanto que agora quero muito ler o livro. É tudo tratado com tanta leveza pelo olhar de uma criança, mesmo sendo assuntos sérios. É horrível imaginar que a ficção possa se assemelhar à realidade nesse caso (essa frase cabe muito bem num dos próximos filmes dessa lista).

É emocionante e profundo. A gente sente o que cada personagem está passando. A todo momento torcemos para que mãe e filho consigam sair do cubículo onde vivem para (re)descobrir o mundo. Jacob Tremblay é o prodígio de Hollywood! O que é aquele menininho chorando?! Em muitos momento eu senti dor no coração, pois ele passa todo a inocência de um garotinho que nunca viu o mundo, tanto que senti vontade entrar no filme abraçá-lo. 

Gostaria muito discorrer sobre os conflitos da história, mas acredito que esses seja um filme para se assistir sabendo apenas o básico. Posso adiantar que é cativante, agoniante e, de certa forma, inspirador. 

Alvin e os Esquilos - na estrada 


Alvin, Simon e Theodore acham que Dave vai pedir a namorada em casamento e abandoná-los. Os três embarcam em uma jornada para impedir que isso aconteça.

Eu amo Alvin e os Esquilos desde que o primeiro filme existe. Adoro a proposta dos esquilos cantores (a voz deles é tão fofa e gostosa de se ouvir!). As sequências, a meu ver, só acrescentaram, pois continuam divertidas e com histórias novas. Eu adoro as Esquiletes também.

Esse quarto filme foi bom, e eu gostei de verdade e ri muito, mas acredito que tenha faltado alguma coisa. Foi um encerramento bem emocionante para o trio, mas acho que terem feito ele como um road movie e terem posto uma trama de casamento deixou clichê. Além do vilão, que não chega nem perto do Ian Hawke, pois é bem estabanado e beira o ridículo. Também senti falta das Esquiletes, pois, a partir do segundo filme, elas passam a ser parte da família, né? 

É um filme legal, divertido, musical e que quis fechar a história de Alvin e os Esquilos, mas, se não tivesse existido, estaria tudo bem também.

A Garota Dinamarquesa 


Baseado no livro de David Ebershoff, "A Garota Dinamarquesa" conta a marcante e inspiradora historia de Lili Elbe e Gerda Wegener. O casamento e a obra de Lili e Gerda nos envolvem na importante jornada de Lili como pioneira transgênero.

Mais um filme lindo e incrível na lista. Eddie Redmayne e Alicia Vikander trazem uma atuação brilhante a um tema que precisa tanto, mais tanto, ser mais debatido para que deixe de ser um tabu. Homens e mulheres que tem uma identidade de gênero diferente com o sexo atribuído não surgiram agora, não são uma moda. Já faz anos que pessoas tem de viver frustradas e reprimidas por medo de serem julgadas e excluídas, e isso é horrível.

O filme é uma obra de arte, é poético e emocionante. Nós vemos Einar se tornando a mulher que ele sempre deveria ter sido, e como a felicidade surge em seus olhos nos momentos que ele está como Lili. Vemos Gerda passar da estranheza (o que é normal, pois essa "estranheza" deve ser desconstruída aos poucos) para a empatia. Gerda passa a amar Lili, não por conta de sua orientação sexual ou por ter sido seu marido, mas pelo ser humano que ela é!

❤ 3096 dias ❤


O filme é baseado na história real de Natascha Kampusch, que foi raptada e mantida em cativeiro entre os anos 1998 e 2006. Capturada em uma rua de Viena aos dez anos, o longa narra sua vida ainda em liberdade, passando pelo período de isolamento completo do muno exterior, o de sofreu abusos físicos e psicológicos, até o momento de sua fuga e readaptação a vida em sociedade. 

Esse é um daqueles filmes difíceis de dizer se gostei ou não, pois não é nem de longe algo legal de se ver, mas se faz necessário por retratar um sequestro real. Antes de ver ao filme, li o livro de mesmo nome escrito pela própria Natasha Kampusch e, embora o filme seja relativamente fiel em retratar a vida dela no cativeiro até conseguir se libertar, acredito quer quiseram deixar meio "sensacionalista', pois incluíram abuso sexual em algumas cenas, sendo que não ocorreu esse tipo de abuso (é explicado no livro), e isso foi algo que me incomodou bastante.

É muito pesado! Eu fiquei perturbada por alguns dias, mesmo que eu goste bastante desses assuntos de criminologia. É horrível pensar que uma criança teve a infância roubada para passar mais de oito anos presa num cubículo sendo torturada física e psicologicamente por um homem desequilibrado.

É importante ressaltar que nesse filme (e no livro também) existem cenas que podem servir de gatilho e que causam agonia, então, caso você seja uma pessoas com o emocional fragilizado, não recomendo que assista de jeito nenhum!

❤ Um Crime Americano ❤ 


Baseado em história real. Em 1965, uma dona de casa de um subúrbio de Indianápolis concorda em acolher em casa duas irmãs, filhas de pais circenses. Abandonada pelo marido, ela precisa de dinheiro e as meninas terminam trancadas no porão.

Mas um filme baseado num caso real e assustador. Eita que a coisa aqui hoje está pesada! Sylvia Marie Likens foi uma adolescente norte-americana torturada até a morte graças a infâmias e obsessões de Gertrude Baniszewski, uma mulher que foi incumbida de cuidar dela. Eu fiquei realmente abismada com o tanto de crueldade que o ser humano é capaz de ter. É interessante ver o passado (as torturas que Sylvia sofreu) se alternando com o presente (o julgamento de todos os envolvidos).

Novamente, eu alerto: o filme é pesado e retrata quase que com perfeição a história de Sylvia, então, por favor, se não gosta desses assuntos, não assista!

Eu não sou um homem fácil 


Um machista inveterado prova de seu próprio veneno ao acordar num mundo dominado por mulheres , onde entra em conflito com uma poderosa escritora. 

Vamos encerrar com um filminho francês, relativamente mais leve, com um humor bem pastelão aparentemente, mas que, se formos parar pra analisar, tem um crítica enorme. Imaginem um mundo matriarcal, onde os homens sofrem perseguição, pressão estética, assédios, são sexualizados e vistos como o "sexo frágil". Pois é, é nesse mundo que o protagonista acorda, e lá ele é visto como um homem com ideias masculistas (hahaha).

A princípio, parece ser muito engraçado, pois um machista percebe tudo que as mulheres passam. Mas, em dado momento, passamos a sentir pena dele, pois as mulheres passam por tudo que os homens passam naquela realidade alternativa, e isso não é nem de longe legal (é claro que eu espero realmente que todo mundo aqui concorde que a nossa a nossa sociedade ainda é muito machista).


Quais foram os últimos filmes que vocês assistiram? Tem alguma indicação? Não garanto que eu vou assistir, mas vou tentar hehe.

Isso é tudo, pessoal! Rainha Vermelha, 

SOMOS TODOS LOUCOS AQUI

18 comentários :

  1. De todos os filmes citados no seu post o meu preferido é"Garota Dinamarquesa" sem duvidúv, esse filme é divino e eu amo o Ed 💚 Ah e "O Quarto de Jack" é brilhante a atuação daquele menino me conquistou e a forma como ele reagiu com tudo também. Um beijo.

    www.ventosdemaio.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São dois filmes realmente encantadores *-*

      Excluir
  2. Assisti O Quarto de Jack ano passado, acho, e meu deus que baita filme. Senti todo o impacto e peso. Ainda quero ver muito Garota Dinamarquesa e Um Crime Americano. Assistiu bastante filme Lu <3

    Beijos da PINGUIM TAGARELA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só "assisti bastante filme" porque reuni todos que vi nos últimos dois meses haha. Sério, eu estou muito parada nesse departamento :p

      Excluir
  3. Desses eu já assisti O Quarto de Jack e Garota Dinamarquesa, e achei ambos lindíssimos! Mas fiquei bastante interessada no filme Eu não sou um homem fácil, a proposta parece bem divertida, vou procurar para assistir *---*
    Beijinhos <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depois me conta o que achou de "Eu não sou um homem fácil". Acho que vai gostar, mesmo sendo um filme com uma proposta meio... estranha hehe :p

      Excluir
    2. Assisti o filme. Estava gostando muito do começo e de toda a história até chegar o final... Não gosto desses finais sem conclusão, eles me deixam frustrada, como se eu tivesse perdido o meu tempo.
      De todo modo, gostei do filme, então finjo que aquele final nunca existiu, prefiro imaginar um final onde os dois personagens acabam indo para um mundo onde homens e mulheres vivem em harmonia e com total direitos igualmente estabelecidos =D

      Excluir
    3. Eu também ODEIO esses finais, porque eu nunca sei bem o que aconteceu. Pior é quando acontece isso em livro haha o.O
      Ah, esse mundo que você idealizou para os protagonistas seria o meu sonho?!

      Excluir
  4. Tenho vontade de assistir A Garota Dinamarquesa e O Quarto de Jack. Depois das suas resenhas fiquei mais curiosa. O último filme que vi foi A Menina Índigo, um filme nacional muito bacana que aborda o tema das crianças índigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela indicação de filme. Não garanto que vou assistir, mas sempre deixo os nomes anotados hehe :)

      Excluir
  5. De todos o que fiquei com mais vontade de assistir foi o quarto de Jack, estou vendo vários comentários positivos.
    Vou te indicar dois filmes que assisti e adorei também: Reality High e A bailarina, de cara pode parecer clichê, mas tem algumas lições muito importantes, sobre internet, personalidade e sonhos.
    Fica a indicação, eu amo filmes que me fazer querer mudar ou inovar algo em mim.

    https://meuladojujuba.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ooh ooh, chuchu, A Bailarina eu já assisti... inclusive, ele apareceu em um dos posts dessa categoria de filmes hehe. Eu gostei bastante, mesmo a história sendo um pouco clichê. A trilha sonora é uma preciosidade *-*

      Obrigada pela indicação, vou deixar anotadinho e... tentar ver um dia haha ;p

      Excluir
  6. Que lista mais maravilhosa!
    Desses o único que eu realmente vi foi Alvin & os Esquilos. Tô doida pra ver A Garota Dinamarquesa Ed Redmayne é maravilhosooo! ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depois me conta o que achou, florzinha ;*

      Excluir
  7. O mês foi recheado heim!!
    Não assisti nenhum desses filmes ainda, ando meio parada rs
    Com certeza não assistirei 3096 dias e nem um crime americano. Não fico pertubada depois, mas a sensação que sinto no momento que estou vendo não me agrada, não curto ver esse tipo de coisa, apesar de saber que é, infelizmente, uma realidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vish, se eu te contar que no post tem todos os filmes que vi nos últimos dois meses...!

      Realmente, filme com um cunho mais pesado podem nos deixar muito desconfortáveis enquanto assistimos, por isso já deixei avisos em 3096 Dias e Um Crime Americano!

      Beijos :*

      Excluir
  8. Amo esses posts, Lu! O Quarto de Jack é muito bom mesmo, o Jacob Tremblay é tão fofo e um ator incrível, né? Ele como o Auggie, de Extraordinário, acabou comigo <3. Adoro Alvin e os Esquilos!! A Garota Dinamarquesa tá na minha listinha de filmes pra assistir, assim como 3096 dias, mas acho que é meio pesado, né? Esse Um Crime Americano eu vi a Bel Rodrigues falando sobre esse caso e fiquei muito chocada também, mas ainda não assisti o filme. Adorei as indicações, Lu! =)

    Beijos, quebrarosilencio.blogspot.com ❥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico muito feliz em saber que gosta, amora :)

      Acredita que ainda não assisti Extraordinário? Já li o livro há muito tempo, mas ainda não tive oportunidade ler essa obra cinematográfica. Tenho certeza que está lindo!
      Oh, a Bel Rodrigues sempre me apresenta a filmes de criminologia incríveis. Mesmo sendo um pouco pesado, eu recomendo muito, pois nos ajuda a ser mais críticos quanto a sociedade e as pessoas.

      Beijos :*

      Excluir

Recadinho: clique em "notifique-me" para descobrir qual foi minha resposta ao seu comentário, e para que possamos conversar melhor ;)