o conto dos três irmãos

Tirei essas fotos há algum tempo e já até publiquei em outro lugar, mas queria deixá-las guardadas aqui no blog junto com esse conto que, agora, significa muito pra que mim que me ensinou tantas coisas.

Era uma vez três irmãos que estavam viajando por uma estrada deserta e tortuosa ao anoitecer. Depois de algum tempo, os irmãos chegaram a um rio fundo demais para vadear e perigoso demais para atravessar a nado. Os irmãos, porém, eram versados em magia, e então simplesmente agitaram as mãos e fizeram aparecer uma ponte sobre as águas traiçoeiras. Já estavam na metade da travessia quando viram o caminho bloqueado por um vulto encapuzado.

E a Morte falou. Estava zangada por terem lhe roubada em três vítimas, porque o normal era os viajantes se afogarem no rio. Mas a Morte foi astuta. Fingiu cumprimentar os três irmãos por sua magia, e disse que cada um ganhara um prêmio por ter sido inteligente o bastante para lhe escapar.

Então, o irmão mais velho, que era um homem combativo, pediu uma varinha mais poderosa que existisse: uma varinha que sempre vencesse os duelos para seu dono, uma varinha digna de um bruxo que derrotara a Morte! Ela atravessou a ponte e se dirigiu a um vetusto sabugueiro na margem do rio, fabricou uma varinha de um galho da árvore e entregou-a ao irmão mais velho.

Então, o segundo irmão, que era um homem arrogante, resolveu humilhar ainda mais a Morte e pediu o poder de restituir a vida aos que ela levara. Então a Morte apanhou uma pedra da margem do rio e entregou-a ao segundo irmão, dizendo-lhe que a pedra tinha o poder de ressuscitar os mortos.

Então, a Morte perguntou ao terceiro e mais moço dos irmãos o que queria. O mais moço era o mais humilde e também o mais sábio dos irmãos, e não confiou na Morte. Pediu, então, algo que  lhe permitisse sair daquele lugar sem ser seguido por ela. E a Morte, de má vontade, lhe entregou a própria Capa da Invisibilidade.

Então, a Morte se afastou para um lado e deixou os três irmãos continuarem a viagem, e foi o que eles fizeram, comentando, assombrados, a aventura que tinham vivido e admirando os presentes da Morte.

No devido tempo, os irmãos se separaram, cada um tomou um destino diferente.


O primeiro irmão viajou uma semana ou mais e, ao chegar a uma aldeia distante, procurou um colega bruxo com quem tivera uma briga. Armado com a varinha de sabugueiro, a Varinha das Varinhas, ele não poderia deixar de vencer o duelo que se seguiu. Deixando o inimigo morto no chão, o irmão mais velho dirigiu-se a uma estalagem, onde se gabou, em altas vozes, da poderosa varinha que arrebatara da própria Morte, e de que a arma o tornava invencível.

Na mesma noite, outro bruxo aproximou-se sorrateiramente do irmão mais velho enquanto dormia em sua cama, embriagado pelo vinho. O ladrão levou a varinha e, para se garantir, cortou o pescoço ao irmão mais velho.

Assim, a Morte levou o primeiro irmão.


Entrementes, o segundo irmão viajou para  própria casa, onde vivia sozinho. Ali, tomou a pedra que tinha o poder de ressuscitar os mortos e virou-a três vezes na mão. Para sua surpresa e alegria, a figura de uma moça que tivera esperança de desposar antes da sua morte precoce surgiu instantaneamente diante dele.

Contudo, ela estava triste e fria,  como que separada dele por um véu. Embora tivesse retornado ao mundo dos mortais, seu lugar não era ali, e ela sofria. Diante disso, o segundo irmão, enlouquecido pelo desesperado desejo, matou-se para poder verdadeiramente se unir a ela.

E assim a Morte levou o segundo irmão.


Embora a Morte procurasse o terceiro irmão durante muitos anos, jamais conseguiu encontrá-lo. Somente quando atingiu uma idade avançada é que o irmão mais moço despiu a Capa da Invisibilidade e o deu-a de presente ao filho. Acolheu, então, a Morte como uma velha amiga e acompanhou-a de bom grado, e, iguais, partiram desta vida.

16 comentários :

  1. Eu amo esse conto. Acho ele cheio de significado, e traz uma mensagem linda. De certa forma ele dá um belo embasamento para a série Harry Potter toda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também me apaixonei por pelo conto *-*

      Excluir
  2. Gostei imenso desse conto... adoro quando autores travam 'suas batalhas' com a morte através dos personagens. Me lembro da poesia de Cecília Meireles (onde a morte é figura feminina) e de Emily Dickinson onde a morte é um cacheiro viajante, figura masculina. rs

    Viajei, eu sei...
    bacio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também adoro ver a morte retratada das mais variadas formas nos livros, contos ou poemas!

      Excluir
  3. Eu sinto como se a Hermione estivesse falando sempre que leio esse conto é definitivamente divino, não tem como ler essa relíquia do J. K. e não imaginar todo o contexto é lindo isso. Amei moça e um beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também consigo ouvir a voz dela hehe. Recentemente adquiri um exemplar de Os Contos de Beedle, o Bardo, e só serviu para fazer com que me apaixonasse ainda mais <3

      Excluir
  4. Que conto lindo! E nem sabia que era de Harry Potter! Pois é... sou uma das poucas pessoas do mundo que não caiu nas graças do bruxinho mais amado do mundo! kkk Mas preciso ler a série urgente! =)
    Bjks!

    Mundinho da Hanna

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Moça, faz favor e vai ler haha. Sério, é maravilhoso, uma das melhores histórias que já li, minha favorita atualmente <3

      Excluir
  5. Uauu que conto incrível, não conhecia! Também não sabia que era de Harry Potter haha
    Super envolvente, adorei ler, muito legal :)
    Beijos,
    http://www.nomundodaluablog.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um conto muito significativo para a história :)

      Excluir
  6. Os contos desse livro são incríveis! E esse, sem dúvida, é o melhor deles.
    Adoro a reflexão que ele transmite ao leitor <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Consegui ler todos os contos recentemente e estou encantada *-*

      Excluir
  7. Lindas as fotos, esse conto é realmente lindo. É uma das minhas partes favoritas de Harry Potter, acredito. Tem tantas mensagens nesse conto que podemos levar para a vida, e eu adoro a maneira como é contado no filme também, com aquela animação :))
    Beijo!

    Sorriso Espontâneo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A animação do filme é realmente perfeita. E esse conto se tornou ainda mais significativo pra mim depois de ler uma teoria sobre ele e personagens de Harry Potter que faz todo sentido! <3

      Excluir
  8. Esse conto é tão lindo! (a foto também rs)
    Beijos

    ResponderExcluir

Recadinho: clique em "notifique-me" para descobrir qual foi minha resposta ao seu comentário, e para que possamos conversar melhor ;)