Vow of Thieves (Mary. E. Pearson)


Sabe aquele livro que você termina de ler e pensa "ainda bem que eu li esse livro"? Pois é, foi justamente esse meu pensamento depois de concluir a leitura de Vow of Thieves, segundo volume da duologia Dinastia de Ladrões (leia a resenha de Dance of Thieves). Eu já havia me encantado pela escrita da Mary E. Peason antes através da trilogia Crônicas de Amor e Ódio, mesmo tendo algumas coisinhas que me incomodaram ao longo da leitura. Mas esse spin-off eu ouso dizer que é perfeito! A qualidade da escrita se mantém ao longo deles, e a história é tão linda! Ah, e é bom lembrar que você não necessariamente precisa ter lido a primeira trilogia para entender e se encantar por esses dois. (a Melina Souza fez um vídeo falando sobre isso)
Esperança. Ela se erguia em algum lugar oculto dentro de mim.
No primeiro livro conhecemos Kazi, uma Rathan do Reino de Venda que foi enviada pela rainha a uma terra distante para investigar infrações e outros assuntos inacabados; e Jase, o novo líder da Dinastia Ballenger. Por uma brincadeira do acaso, os dois acabam se encontrando e tendo seus caminhos cruzados, e assim dando início a uma sequência de acontecimentos que podem mudar o destino de suas vidas, e de Venda, e dos Ballenger.

Após os eventos do primeiro livro, os dois estão se aproximando da Torre da Vigília de Tor, mas são pegos num emboscada violenta. Nenhum deles sabe o que está realmente acontecendo e, acabam sendo separados. A partir daí cada um tem de lutar com as armas que possui, não apenas para conseguirem sobreviver e se encontrar, mas para salvar o mundo todo!


Eu tentei dar o mínimo de detalhes possível, pois não quero dar nenhum spoiler. E, até porque, meu intuito com essa resenha é convencer vocês a lerem sem entregar tanto coisa assim da história. O que eu posso dizer? Que livro fantástico! Eu já havia amado com todas as minhas forças Dance of Thieves, mas esse continua tão bom, e eu li tão rápido e amei tanto que se torna quase impossível para mim dizer qual é melhor; os dois são uma unidade e os dois são perfeitos! 

A autora conseguiu expandir o universo de Crônicas de Amor e Ódio perfeitamente bem, e criou um novo arco com personagens ainda mais apaixonantes e únicos. Kazi é definitivamente uma das minhas personagens femininas favoritas: ela é forte e destemida, e isso, a despeito de tudo que que ela passou, é incrível. Jase vai ser pra sempre um dos meus amores literários: sua coragem e seu altruísmo me deixaram fascinada. O amor desses dois é lindo, a gente viu crescendo e se tornando cada vez mais forte ao longo das páginas. É emocionante, é um sentimento que eu quero viver um dia.

Quando ao vilão, é surpreendente, pois a autora pegou detalhes que provavelmente são deixados de lado no primeiro livro, mas que no final (ou na hora da grande revelação sobre o causador de todo o problema) faz todo sentido. Inveja ainda é um dos maiores maus dos seres humanos, seja na vida real ou dentro da literatura.


Foi uma das melhores coisas que eu já li na minha vida todinha! Podem acreditar, mesmo sendo um livro grande, se tivesse mais 100 páginas eu leria com uma sorriso no rosto (ou roendo as unhas dependendo do que estava acontecendo hehe). Mary E. Pearson tem um jeito único de escrever suas histórias. Ela é sensível e intensa! Suas descrições podem ser longas, mas são tão especiais que logo a gente acaba se perdendo na narrativa e não consegue parar até descobrir onde tudo vai terminar. Eu realmente espero poder voltar a esse universo um dia, seja com uma releitura ou com novos livros!


Quanto às edições, a do segundo segue a mesma linha da do primeiro livro, com a única diferença de que a paleta de cores é toda em vermelho. Geralmente eu torço o nariz para livros se séries e afins que são de cores tão diferentes, mas esses dois ficaram tão lindos um do ladinho do outro na estante que eu nem liguei. Na verdade, eu amo o trabalho gráfico feito nos dois ♥ o corte de página é colorido (azul no primeiro, e vermelho no segundo), e nas folhas de guarda tem uma ilustração linda da Boca do Inferno e da Torre da Vigília de Tor.



o autógrafo que é uma das coisas mais preciosas pra mim *-*

Alguém aí conhece a escrita da autora, seja por essa duologia ou pela trilogia principal? Espero que com a resenha eu tenha conseguido convencer alguém a ler. Todos os elogios tecidos a esses livros são verdadeiro, eu realmente amei muito!

Vocês podem comprar os livros aqui e aqui.

14 comentários :

  1. Antes de mais nada, parabéns pelo capricho nas fotos, ficaram incríveis! A arte gráfica dos livros é outro ponto alto, fiquei impressionada, tudo nuito bonito e de bom gosto. É tão legal quando um livro nos conquista, ainda mais sendo uma duologia, é sinal que a autora conseguiu manter o mesmo nível nas duas obras, excelente trabalho!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico muito feliz que tenha gostado das fotos! Os livros lindos ajudam na composição hehe.

      Excluir
  2. No post que você fez sobre o primeiro livro dessa duologia eu comentei que tinha ficado interessada pela história, mesmo sem ter lido Crônicas de Amor e Ódio e, aliás, nem tem muito interesse em ler. Agora, vendo você falando nesse post com tanta empolgação e com tantos elogios, definitivamente os dois livros entraram para a minha lista de leituras futuras. E que livros lindos, gente! E suas fotos também, como sempre!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho certeza que você iria amar os dois livros! São lindos tanto por dentro quanto por fora <3

      Excluir
  3. Só tenho o livro 1 e desejo demais o 2. Ainda não li o primeiro, mas pretendo colocar esses livros na minha lista de 2020, com certeza. Essa história deve estar intensa e surpreendente. Ah, adorei as fotos, muito lindas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tomara que você esteja com o segundo livro quando terminar o primeiro, pois o final te deixa ainda mais curioso para saber o que acontece no segundo!

      Excluir
  4. Livro lindo!!!! Deu vontade de ler pela capa e fotos internas. Depois de ler seu texto então... Já está na lista hehehe
    Abraços!

    ResponderExcluir
  5. Eu sempre vejo você falando desses livros no Instagram. Sabia que a resenha no blog seria tão perfeita quanto nos stories! ❤❤❤❤❤

    ResponderExcluir
  6. Caramba! A capa é linda e as fotos conseguiram ficar no nível, parabéns! Legal quando um livro prende assim não? Depois desta resenha fica quase impossível não querer ler :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou das fotos. Espero que consiga lê-los algum dia :)

      Excluir
  7. Oie, acho interessante como os livros seduzem a uns e não a outros... esse foi o caso. não consegui ler o livro. Comecei e o abandonei porque os elementos da autora não me alcançaram. Por ser fantasia (talvez). Acho que esse gênero está gasto para mim. Fico com a sensação de deja vù e ficou horas a pensar "onde foi que eu li isso antes?" e a resposta aparece. Obviamente isso me incomoda imenso.
    Devo concluir que estou ficando velha e muito exigente (muito mais) ou talvez precise parar de ler Fiodor. Na semana passada um ser humano disse "guerra e paz é o melhor de Dostoiévski. Eu ri e não disse nada, mas fiquei a observar o cidadão a minha frente. Certeza de que ele não sabia quem era um, nem outro. Conclui ali que estava velha e cansada. Ri horrores. E ao ler todo o seu entusiasmo com esse livro e a minha total falta de vontade para com ele, a certeza voltou.
    Mas eu adorei as fotografias. Ficaram incríveis.

    bacio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu entendo essa sua sensação, mas, no meu caso, aconteceram com outros gêneros, não com fantasia. Ainda bem, pois eu amo esse gênero e vou ficar bem frustrada se começar a me sentir saturada dele. Com o tempo a gente percebe que leu muito sobre muita coisa!

      Excluir

Recadinho: clique em "notifique-me" para descobrir qual foi minha resposta ao seu comentário, e para que possamos conversar melhor ;)