O Transtorno Obsessivo Compulsivo de N. (Stephen King + Marvel Comics)


O Transtorno Obsessivo Compulsivo é caracterizado pela presença de obsessões e/ou compulsões: pensamentos, impulsos ou imagens recorrentes acompanhados de comportamentos repetitivos ou atos mentais que o indivíduo se sente na obrigação de executar. Na graphic novel N., baseada em um conto de Stephen King e adaptada por Marc Guggenheim e Alex Maleev, o TOC é tratado como um plano de fundo para retratar a relação entre um analista e as obsessões de seu falecido paciente.


N. sofre de transtorno obsessivo compulsivo severo. Para quem tem essa doença, as obsessões não são prazerosas; são intrusivas e indesejadas, causando sofrimento e ansiedade. E é dessa forma que ele se sente, o que o leva a procurar ajuda de um profissional. O Dr. John Bonsaint é quem o trata e sente-se, de certa forma, intrigado pelas histórias sobre sete (ou oito?) pedras, outrora supostamente vistas por seu paciente nas Terras de Ackerman, no Maine, e as quais, segundo ele, são responsáveis por um portal para outra realidade.

Mas, após a morte de N., Bonsaint se vê ele próprio preso em um redemoinho de obsessões envolvendo aquela região misteriosa sempre citada nas sessões. Ele começa uma investigação, disposto a entender a raiz do que levou N. a cometer suicídio, mas sem ao menos refletir sobre as consequências que trarão para si mesmo...


Essa foi sem dúvida uma das leituras mais diferentes que fiz esse ano. Nunca tive contato com histórias do Stephen King e, quando o livro chegou em minhas mãos, eu não sabia muito bem o que esperar. Só fui descobrir depois que realmente comecei a ler, e devo dizer que foi uma surpresa!

N. é uma história angustiante e sufocante. Você consegue sentir toda a agonia e sofrimento pelo qual os personagens passam, pois nem eles e nem o próprio leitor sabem exatamente o que temer e o que esperar. É como se nós fossemos arrastados para aquelas loucuras e obsessões, aparentemente "sem fundamento". A sanidade de N. estava por um fio, a ponto de ele começar a acreditar nas forças positivas de números pares e ímpares. Com o passar da história, vamos percebendo que tudo pode vir a se tornar um ciclo sem fim, onde, de paciente-e-analista em paciente-e-analista, várias pessoas podem ser levadas a acreditar no poder que aquela formação rochosa, em tese, possui (e eu digo "em tese" porque, a meu ver, fica por conta do leitor acreditar se tudo é real ou não).

Eu não li o conto original (quero!), mas posso falar que as ilustrações (que têm um traço muito realista e característico de quadrinhos) contribuem para esse sentimento: elas são sombrias, assustadores e até mesmo grotescas. Há um medo psicológico muito grande permeando cada página, e que nos prepara para algo maior.


Foi uma leitura que me tirou da minha zona de conforto, que me deixou assustada, curiosa e sedenta por mais. Duas coisas que contribuíram para que a minha experiência fosse ainda melhor foram o cenário que eu escolhi para lê-lo (dentro de um ônibus, voltando para a casa à noite), e ter assistido os mobisódios feitos pela Marvel Comics (esses mini-episódios são basicamente a HQ em formato de vídeo).


A graphic novel foi lançada pela DarkSide Books, e a edição é bem diferente das que a editora geralmente lança. Ela tem uma luva preta com um N bem grande e que "esconde" a verdadeira capa, o que pode ser muito significativo, tendo em vista que a história toda se baseia em mistérios. Vocês podem comprar pelo site da Caveira ou pela Amazon.

Espero que tenham gostado da resenha e que ela tenha deixado vocês curiosos para ler. Ah, para falar sobre TOC aqui no post eu fiz uma pesquisa no Manual Diagnóstico e Estatístico dos Transtornos Mentais. Acho importante ressaltar que a história da HQ deixa claro que TOC não é uma bobagem ou pura e simplesmente gostar das coisas arrumadas.

42 comentários :

  1. Medo e terror psicológico definem as obras do stephen king haha (rindo sabendo que de engraçado não tem nada quando a gente lê os livros dele). Confesso que nunca me senti atraída por HQs mas ao ler a resenha, e também por adorar o Stephen King (gosto que herdei da minha mãe), fiquei curiosa para ver a adaptação, e também ler o conto original que não conhecia até o momento. Também achei muito interessante o fato que tu buscou pesquisar antes de falar sobre TOC no blog. Aaah as fotos estão lindas e o post muito bem escrito como sempre Lu! Beijão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que o post tenha te deixado mais curiosa quanto a esse gênero, chuchu.
      Obrigada pelo carinho! <3

      Excluir
  2. King é um dos meu autores preferidos, então eu tenho a intenção de ler tudo que ele escreve. E essa atmosfera que você descreveu de se ver envolvido pela história é bem típica das narrativas de King. Claro que esse livro entrou para a lista de leitura assim como o livro que contém o conto de origem já deve estar porque eu leria até a lista de compras do King. E outra coisa é que eu nunca me interessei em ler graphic novels, até começar a ler algumas resenhas sobre aqui no seu blog, e agora já tenho uma pequena listinha desse tipo de obra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você gosta do King tenho certeza que vai gostar da HQ. Eu pretendo ainda esse ano comprar um dos livros dele para finalmente poder ler esse autor!

      Excluir
  3. Oi Luana, muito legal tu ter falado sobre TOC na postagem, sobre o quadrinho, curti bastante, curti as referências a Lovecraft entre outras coisas. Seria muito legal se eles adaptassem outros contos do autor. Eu não reclamaria hahahaa
    Beijos Joi
    estantediagonal.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Engraçado você ter citado Lovecraft. Mesmo eu não tendo lido muita coisa dele, percebi as referências também hehe.

      Excluir
  4. Oi Luana!

    Nossa, eu só muito fã do Stephen King e assim que vi que sairia essa adaptação do conto N. para uma Graphic Novel eu pirei! Ainda não consegui adquirir, mas adorei que você mostrou as artes internas porque isso me deixou ainda mais curiosa para conhecer a obra! Espero que eu consiga logo minha edição!

    Beijos,
    Amanda Rocha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também espero que logo consiga ler a HQ, chuchu. Depois me conta o que achou! ;)

      Excluir
  5. Menina, sabe que fiquei pensando no quanto lhe foi angustiante a leitura, como você mesma mencionou mas, ao mesmo tempo, muito importante à sua construção enquanto estudante de psicologia, não? Com sua resenha, fiquei bem curiosa pela leitura, até mesmo fato de nunca ter lido King. Adoro seus trabalhos no blog! Parabéns! Boa semana e até a próxima!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo carinho, moça! E pra praticamente tudo que leio eu penso no quanto pode me ajudar na minha futura profissão, sobretudo se forem livros que tratam de transtornos mentais!

      Excluir
  6. Adorei as fotos, você é muito boa nisso!

    Que interessante, vou atrás dessa graphic novel! Tem outra HQ da Marvel que também trás um transtorno mental como um dos principais temas que é Jessica Jones, ela tem TEPT (Transtorno de Estresse Pós-Traumático), desencadeado principalmente porque ela sofreu abuso sexual e psicológico do vilão. Essa HQ foi adaptada pra uma série da Netflix (que aparentemente foi cancelada).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou! Obrigada :)
      Eu já ouvi falar dessa HQ, mas não sabia de todos esses temas. Interessante (principalmente pra mim, que estudo psicologia).

      Excluir
  7. Esse é um assunto que me interessa bastante. E por ser um HQ fiquei mais interessada...
    Dica anotada.
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado da dica literária :*

      Excluir
  8. Oie, buongiorno cara mia!
    Nossa, eu amo King. Dito isso, já quero-preciso desse almanaque.
    Até porque o tema é um dos meus preferidos. Lembro-me do quanto eu consumi o tema durante a faculdade. Pesquisei todos os autores indicados e fiz várias entrevistas com pessoas. Foi uma projeto pessoal bem interessante. E analisar as diferentes origens e gatilhos foi fascinante. Me lembro que na época, lançaram o filme com o Jack Nicholson (melhor é impossível) e eu assisti um sem-fim de vezes para entender como o cão mudou a vida da personagem, enquanto todos achavam que era o amor que sentia pela personagem interpretada por Helen Hunt. Outro personagem que investiguei para compreender foi o Holmes e consequentemente o House.
    Esse assunto é como uma bacia de pipocas, para mim. Deu para notar? rs
    bacio cara mia

    Ps. Grata pela resenha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lunna, moça, que projeto maravilhoso. Lembrei de mim mesma pesquisando sobre serial killers, mesmo não sendo o foco da faculdade no momento. Ah, e nós assistimos esse filme na faculdade para a matéria de Personalidade II. Eu achei muito bom!!!

      Excluir
  9. Deixou curiosa sim! TOC deve ser uma coisa bem angustiante! Pelo jeito o livro leva o leitor pra dentro da história, isso é bom!
    https://sobreavidasm.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. Livros do King, são todos como descreveu, angustiantes e sufocantes. Te levam ao grau máximo da ansiedade, vivida pelo personagem. É um autor com uma assinatura muito forte. Já li e adoro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu ainda quero muito ler outros livros dele, dessa vez a obra original :)

      Excluir
  11. Ontem chegou esse meu queridinho e com certeza ter lido isso antes de lê-lo vai me fazer ter uma percepcão totalmente diferente sobre a HQ. Amo suas postagens, sempre to seguindo seu perfil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depois me conta o que achou da HQ, moça! E obrigada pelo carinho *-*

      Excluir
  12. Eu estou doida pra ler e já vi várias pessoas falando que é uma leitura bem angustiante exatamente pq que conseguimos sentir o personagem, e confesso que isso me deixou ainda mais curiosa. O fato de ser em quadrinhos também pesou no meu desejo :) E agora lendo tudo que vc escreveu, fiquei ainda mais curiosa :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho certeza que vai sr uma ótima leitura, moça! :)

      Excluir
  13. Primeiramente gostaria de dizer que amei o seu novo template! Tá tudo ainda mais lindo por aqui <3 Quanto ao livro, vamos lá... Eu sofro de ansiedade e já tive TOC por um período, então me identifiquei de cara com o personagem. Não conhecia muito do enredo, mas fiquei bem curiosa pra ler esse livro!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou, amora *-* tenho certeza que iria adorar a leitura!

      Excluir
  14. Nossa essa obra está magnífica! Confesso que chamou demais minha atenção, mas também, né, é o mestre quem escreveu. Estarei providenciando meu exemplar o mais breve possível, pois minha curiosidade está muito aguçada para saber de toda a trama na íntegra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todo mundo chama o King de mestre/rei hehe. Espero poder ler outros livros dele logo! :)

      Excluir
  15. Os livros do King é um chichizinho né? Ele te prende do início ao fim e quando termina já quer ler outro em seguida, amei a resenha. Já quero ler esse logo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "chichizinho" hahahaha. Você quis dizer chuchuzinho? Eu não sei se usaria essa palavra para descrever os livros dele :p

      Excluir
  16. Oi Luh, tudo bem? Acho bem interessante trazer temas assim tanto no blog como nas leituras que fazemos. Confesso que não tenho costume de ler histórias que retratem transtornos (preciso mudar isso com certeza). Li uma resenha no instagram se não me engano e achei bem rica essa análise principalmente pela questão do respeito. Mesmo não compreendendo o que essas pessoas passam é importante respeitá-las. Beijos, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que o post tenha te trazido um assunto a qual você não está acostumada, Érika! :)

      Excluir
  17. Eu li seu post todo lembrando de uma colega que tive no colégio que tinha TOC (ou algo que se assemelha muito, não sei se a gente usava o termo correto) e no princípio todo mundo ria das "manias" de sempre ter os dois lados do corpo equilibrado, algumas amigas mais próximas até começaram a brincar de ser igual... Até um dia em que ela pisou numa pedra, machucou um dos pés feio e, ao invés de correr pra fazer um curativo, tirou o sapato do outro pé pra fazer um machucado igual, porque não conseguia ter nada diferente de um lado pro outro. Depois disso eu nunca mais ri de nada relacionado porque achei assustador...
    As ilustrações combinaram DEMAIS com a temática do livro, uau! Nesse pedacinho da sua foto nem parece ilustra, e sim fotos com filtros. Deve ter sido fascinante como estudante de psicologia, né, entrar numa ficção baseada em um transtorno tão banalizado...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha nossa, Luly! Mas infelizmente isso realmente acontece. (E as pessoas insistem em colocar quem tem TOC dentro da "caixinha" do maníaco por limpeza. Claro que há muitos casos assim, mas também diversos outros).
      Ah, e as ilustrações têm um toque bem realístico. É incrível! *-*

      Excluir
  18. Adoro o King, as tramas dele são assim mesmo: há todo um terror psicológico que vai em uma crescente espetacular, envolvendo o leitor em uma atmosfera assustadora que prende a atenção. Interessante demais essa abordagem do TOC na ficção, é realmente um trantorno muito sério, imagino que a leitura seja angustiante; as ilustrações dão o tom sombrio que agrega muito à obra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As ilustrações são bem realistas, o que deixa tudo inda mais assustador, como se aquilo tivesse realmente acontecido e a gente estar lendo um relato real!

      Excluir
  19. Embora eu tenha lido/visto poucas obras do King, ele tem um efeito peculiar ao meu ver: 1- Ele sabe assustar. 2- Ele sabe envolver. 3- Ele sabe a medida exata entre esses dois anteriores ao ponto de você não sair correndo desesperado( tá ... It a coisa me fez correr algumas vezes, mas ...) e se isso acontecer, você já está tão envolvido que respira fundo e voltar só para ver o que tem na frente. Muito interessado na obra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu quero muito ler It algum dia! Dá medo mesmo? As pessoas me dizem que é algo mais focado nos personagens e tudo mais...

      Excluir
  20. Não conhecia esse quadrinho ainda, então valeu mesmo pela dica! Vai já pra lista (gigante!) de futuras leituras que pretendo fazer.
    Li algumas histórias do Stephen King e gostei mais ou menos do que encontrei, mas tenho muita vontade de ler outros livros do autor; e se tratando de uma história que aborda o TOC de forma não preconceituosa (pelo menos foi o que deu a entender), me interessou ainda mais!
    Beijinhos e parabéns pela resenha.
    Isabelle
    https://blogalgodotipo.wordpress.com/
    https://livrosgatoscafe.wordpress.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou, Isa! Espero que consiga ler o livro logo. Ah, qual livro do King você leu? :)

      Excluir
  21. Gostei muito da resenha! uma hora ainda quero comprar essa Grafhic Novel, e essa luva da todo um charme ainda mais para a edição, e as fotos estão lindas, parabéns!

    ResponderExcluir

Recadinho: clique em "notifique-me" para descobrir qual foi minha resposta ao seu comentário, e para que possamos conversar melhor ;)