14 novembro, 2016

O que há de Estranho em Mim (Gayle Forman)


Faz tempo que não faço resenhas litearárias aqui no blog, o que é uma pena, já que eu eu amo ler e amo falar de livros ❤ Aproveitei que nesses últimos dias eu decidi tirar uma ~folga~ da escola e das apostilas (folga é pouco, eu não quero nem mais olhar para os cadernos!) e decidi tirar fotos do livro "O que há de Estranho em Mim", da Gayle Forman.

Depois de eu ter me encantado pela escrita da autora através de Eu Estive Aqui, decidi me aventurar nessa temática jovem-adulto e que foge um pouco dos livros de fantasia a qual estou acostumada. Confesso que estou procrastinando essa resenha desde o começo do ano, mas antes tarde do que nunca!

Ah, só pra lembrar: essa resenha, assim como as outras aqui do blog, não vai ter nenhum spoiler.

O QUE HÁ DE ESTRANHO EM MIM

"Na primeira ficção de sua carreira - que lembra o premiado Um estranho no ninho -, Gayle Forman narra a corajosa saga de cinco garotas presas em um 'centro de tratamento residencial'." - Publishers Weekly
Ao internar a filha numa clínica, o pai de Brit acredita que está ajudando a menina, mas a verdade é que o lugar só lhe faz mal. Aos 16 anos, ela se vê diante de um duvidoso método de terapia, que inclui xingar as outras jovens e dedurar as infrações alheias para ganhar a liberdade.

Sem saber em quem confiar e determinada a não cooperar com os conselheiros, Brit se isola. Mas não fica sozinha por muito tempo. Logo outras garotas se unem a ela na resistência àquele modo de vida hostil, V, Bebe, Martha e Cassie se tornam seus oásis em meio ao deserto de opressão.

Juntas, as cinco amigas vão em busca de uma forma de desafiar o sistema, mostrar ao mundo que não têm nada de desajustadas e dar fim ao suplício de viver numa instituição que as enlouquece.



O livro começa com o pai de Brit internando a filha em um reformatório para meninas. Isso mesmo, um reformatório que promete transformá-la num anjo. Mas a questão é que Brit não merecia estar lá, assim como todas as outras meninas. O que há de errado em tocar numa banda, ter o cabelo colorido e discordar das coisas? O que há de errado em ser lésbica? O que há de errado em gostar de transar? O que há de errado em ser gordinha?! Bom, para os "conselheiros" da Red Rock, isso tudo é sinal claro de distúrbio psicológico e rebeldia exacerbada.

Acho que o grande foco do livro é mostrar como a maioria das pessoas mais velhas tem a mente ultrapassada. Não estou dizendo que todos são assim, sei que não são, mas a verdade é que uma grande parcela vê a nossa geração como um bando de problemáticos, sendo que não é assim. Claro que tem muitos jovens aí que precisam de ajuda, que se envolvem com drogas, tem problemas na escola, depressão, transtornos alimentares, ansiedade.. e isso sim tem de ser tratado adequadamente! Mas não é porque um adolescente leva uma vida que foge ao tradicional que ele mereça ser largado num internato.

O pai de Brit decidiu que, ao invés de uma conversa saudável ou um psicólogo, ela deveria se "corrigir" num centro de reabilitação em condições precárias, torturas psicológicas e trabalhos forçados, e isso me fez odiá-lo o livro todo.


Nas últimas páginas a autora esclarece que o livro foi baseado em investigações reais de jovens que foram internados em reformatórios comportamentais. Eu fiquei muito chocada e me perguntando por dias se existem mesmo pais tão ignorantes a ponto de internarem seus filhos nesses lugares sem ao menos investigar sobre.

A obra é simplesmente incrível e nos faz refletir sobre muita coisa, especialmente o modo como julgamos as outras pessoas, e também retrata bem o poder da amizade. Emocionante, diferente, instigante e verdadeira.

A edição



A primeira coisa que me chamou a atenção foi, obviamente, a capa. Acho que ela passa tudo que está dentro do livro, com a Brit sentada, sozinha e totalmente perdida (quero muito reproduzi-lá um dia). Ah, e o interior do livro fica nessa mesma paleta de cores: cinza e rosa. As páginas são num tom pastel que eu adoro, além de terem um ótima diagramação e espaçamento :)

HOLD ME DOWN




Eu estava viciada nessa música enquanto lia o livro e, depois de ler a tradução, percebi que ela se encaixa muito bem com toda a história, além de ser maravilhosa, assim como todo o álbum Badlands

Tea time ❤





falei sobre esses chás deliciosos aqui ;)


Alguém aí já leu? Alguém ficou curioso? Se você tem algum comentário sobre o livro, deixe aqui em baixo e vamos debater de forma saudável e respeitando a opinião do outro, ok?

Obrigado por tudo, pessoal!

Somos todos loucos aqui

25 comentários :

  1. Olá, cheguei aqui através do grupo "interative-se", gostei muito do teu blog (do pouco que vi até agora). Eu nunca li NADA dessa autora, mas confesso que fiquei muito curiosa pois a premissa foge da maioria dos livros que encontramos por aí, além do que é realmente um problema sério tratar nossa geração como "porblemáticos" ... :*

    ResponderExcluir
  2. p.s: esqueci de dizer que as fotos estão simplesmente maravilhosas e melhoram a experiencia de leitura da resenha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico muito feliz que tenha gostado do blog, das fotografias e da indicação literária, chuchu <3

      Excluir
  3. Eu já ouvi falar deste livro, já li algumas resenhas também mas nenhuma tão perfeita quanto a sua Lu. A temática do livro já me interessa, então lendo o post é claro que fico mais curiosa.
    Ainda não comprei porque tenho livros aqui que ainda não li, então seria mais um e eu acho que devo ter um tempo especial para este livro.
    Lindas fotos como sempre. bjs
    www.simplesmenteciana.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também tenho alguns livros aqui que precisam ser lidos, mas isso não diminui minha vontade de ter outros milhares haha!

      Ah, muito obrigada pelo carinho <3 fico muito feliz de saber que a minha resenha despertou curiosidade yay!

      Excluir
  4. Lu e suas fotos incríveis! A história apesar de interessante eu particularmente não leria, justamente por ter vivenciado na pele esse tipo de preconceito em ser a diferentona em casa, mas não fui enclausurada em um internato por isso, então eu acho que iria despertar uma parte bem ruim da vida, logo... melhor só me contentar com essas fotos maras!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, amora *-*

      Posso dizer que eu também vivencio isso dentro de casa por conta dos meus gostos peculiares... mas eu tenho ignorar, já que eu sei que essa vida não vai durar pra sempre!

      Excluir
  5. Eu já ouvi falar muito desse livro, mas nunca tinha visto sobre o que se tratava, cara, que livro incrível! Preciso dele!

    ResponderExcluir
  6. Suas fotos ficaram perfeitas Lu, e sobre a resenha tenho que dizer que fiquei curiosa pra ler esse livro, primeira vez que vejo sobre essa autora, e tenho que concorda que pelo fato de ter ficado chocada por existir pessoas que acham que algumas mudanças na pessoas sejam caso de internação ou doença, beijos!

    diksdareh.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, florzinha :)

      Moça, tenho certeza que você já deve ter ouvido falar dos livros dela (acho que todos conhecem Se Eu Ficar haha), mas esse, pra mim, é o melhor livro que ela já escreveu!

      Excluir
  7. Eu não conhecia esse livro, mas fiquei sim curiosa pra ler! Agora preciso comentar as suas fotos estão ótimas, sério! Cada vez mais vc está tirando fotos melhores, fiquei encantada!
    Beijosss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aticei a sua curiosidade = missão cumprida :D

      Muito obrigada pelo elogia, amor!

      Excluir
  8. Meu deus, eu adorei a temática do livro! Sempre vejo ele nas livrarias e a capa sempre me chama atenção (gosto da fonte utilizada no título), mas nunca parei pra realmente saber sobre ele. Essa temática, essa coisa de como as pessoas tornam banal o comportamento, como não tentam compreender o que eles realmente são, como tratá-los é algo que eu sempre gosto de ler e sempre fiquei pensando: cadê um livro assim? Sério, quero pra ontem!! Vai ser o próximo que vou comprar certo. Obrigada por essa resenha, saciou um desejo meu de encontrar literatura (atual) dessa temática.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é exatamente sobre isso que o livro fala: a incompreensão por parte dos outros! Tenho certeza que você vai gostar <3 ah, e que bom que gostou da resenha.

      Excluir
  9. "folga é pouco, eu não quero nem mais olhar para os cadernos!" concordo co você.
    Esse livro tem uma capa maravilhosa! E a história parece ser comovente... Tenho que ler esse livro!
    Adorei as suas fotografias para a ilustração desse post.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha :D

      Fico muito feliz que tenha gostado, amor <3 espero que você leia!

      Excluir
  10. Primeiro de tudo: amei as fotos!!! <3 Esse livro parece ser bem bacana! Fiquei bem interessada.

    www.amandamoresco.com.br

    ResponderExcluir
  11. Nossa fiquei com muita vontade de ler.....forte esse livro né?!
    bjinhos=*

    ResponderExcluir
  12. Apesar de parecer um tanto quanto clichê, gostei bastante da premissa e fiquei curiosa pra ler. A foto da capa é linda mesmo, e suas fotos com o chá ficaram incríveis <3
    Abraço :)

    Red Behavior

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Posso garantir que esse livro vai muito além de um clichê e que vale a pena ler! :D

      Muito obrigada pelo carinho :*

      Excluir
  13. Vou confessar que não conhecia esse livro da Gayle e fiquei mega curiosa Lu! A história parece incrível e o tipo de leitura que eu adoro fazer! Já está anotada aqui como desejo literário! ehehe
    Sua resenha tá linda como sempre - sem spoilers - e achei que a música que tô ouvindo é ótima! Não conhecia! As fotos estão lindas, perfeitas e a sua cara, como sempre!
    Sobre o livro ser inspirado em casos reais, apesar de ter pensado 'nossa!', foi mais pela informação do que por saber da realidade. Infelizmente nossa sociedade ainda é tão retrógrada que chega a ser sufocante...
    xoxo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que o post te deixou curiosa, florzinha. Era essa minha intenção! Oh, e muito obrigada pelo carinho *-*

      Excluir

Recadinho: clique em "notifique-me" para descobrir qual foi minha resposta ao seu comentário, e para que possamos conversar melhor ;)